Post publicado por César
27.12

print

Recententemente surgiu a notícia de que a defesa do produtor musical, Dr. Luke, está tentando apresentar provas, para dizer que Kesha é mentirosa. E dessa vez, está sendo utilizado até um tweet antigo, que posteriormente foi apagado, onde Kesha afirmava que foi forçada a cantar algumas frases de “Die Young“, primeiro single do álbum Warrior (2012), após a tragédia na Sandyhook Elementary School (massacre de crianças em uma escola norte-americana no fim de 2012).

Os advogados do produtor musical apresentaram documentos, em uma tentativa de desacreditar a alegação de Kesha, em ação judicial movida contra o produtor musical, onde a cantora relata que chegou a ser drogada e estuprada por Dr. Luke, quando ela tinha 18 anos. Nos documentos apresentados recentemente, o produtor, através de sua defesa, alega que Kesha mentiu, quando ela se pronunciou dizendo, que foi pressionada para gravar/cantar alguns trechos da letra do single de Die Young, com o objetivo de se desvincular da polêmica sobre o massacre de crianças do caso Sandy Hook. Dr. Luke também afirma que, Kesha mentiu ao “declarar” que o produtor também escreveu a música.

Dr. Luke diz que Kesha “orgulhosamente e sinceramente” estava levando os créditos por escrever as letras da música, antes do tiroteio em crianças em Sandy Hook.

O produtor musical também afirma, através da apresentação desses novos documentos, que Kesha teria insinuado que seu pai era Mick Jagger. Luke diz que Kesha tem consciência de que isso é uma mentira, mas que ela nunca parou com isso.

Como se não bastasse, Dr. Luke ainda se refere dizendo que Kesha é uma pessoa terrível, que uma vez ela trancou sua mãe (Pebe Sebert) para fora de um quarto de hotel em Las Vegas, sem sapatos e sem dinheiro. Dr Luke afirma:

Pebe foi obrigada a andar pelo hotel, até o andar do cassino, implorando ajuda.

ATUALIZAÇÃO

O doutor Mark Geragos, que é o advogado de Kesha, por sua vez, lançou um comunicado, sobre as novas alegações/acusações, feitas pela defesa do produtor musical, Dr. Luke, contra Kesha. No comunicado, Mark afirma que o produtor musical está mostrando um “comportamento típico de um abusador em série“:

Todas essas alegações recentes (de Dr. Luke), mostram um predador tentando desviar e distorcer a atenção dos fatos verdadeiros, de que Kesha foi abusada sexualmente e mentalmente por Luke, durante anos. Todos os arquivos mostrados por Luke, recentemente, não mostram consequência neste caso, e são uma triste tentativa de pintar Kesha (que é sua vítima), de uma maneira negativa. Isso é um comportamento clássico de um abusador em série.

Fonte: TMZ.com | Cosmopolitan.co.uk



Twitter



Facebook