Post publicado por César
16.10

print

Para facilitar o entendimento da ação judicial que Kesha moveu contra o produtor musical, Dr. Luke, resolvemos publicar uma espécie de “resumo” das alegações e informações que estão no processo, que já foi digitalizado e divulgado na internet, e os sites da mídia apenas foram divulgando algumas partes separadas.

O processo se inicia com a explanação de que o produtor Dr. Luke induziu Kesha a abandonar sua vida na cidade de Nashville, pela carreira. Mas Luke sempre estava destruindo a confiança dela, para exercer sua manipulação.

Quando Kesha chegou em Los Angeles com Dr. Luke, é relatado que ele já não estava mais se preocupando em colaborar com a carreira dela, através do não cumprimento de promessas de ajuda, como guiar e dar suporte à música da cantora.

Luke também gostava de contar vantagem, ao dizer que estava saindo com várias mulheres, além de também forçar sua esposa grávida a abortar. Luke contava isso para Kesha em detalhes, para que ela se acostumasse e pensasse que isso era seu tipo de atitude normal, e que isso também iria acontecer com ela.

No processo, é revelado que Dr. Luke começou a forçar para que Kesha usasse drogas que deixavam ela dopada, e assim, se aproveitar sexualmente dela. Disso surgiu o apelido de “Dr.” no pseudônimo “Dr. Luke”, porque ele traficava drogas quando foi guitarrista na banda do Saturday Night Live. Certa vez, em um avião, ele obrigou Kesha a inalar uma substância, e abusou dela sexualmente, durante o voo, e ela ficou tão mal, que vomitou.

Na ocasião do uso das “pílulas da sobriedade”, Dr. Luke forçou para que Kesha ficasse embriagada, e então, deu-lhe pílulas dizendo que serviam para deixá-la sóbria novamente. Mas na realidade, as pílulas eram GHB, conhecido como o “boa noite cinderela”, a droga usada por estupradores. Na tarde seguinte, Kesha acordou nua, na cama de hotel de Dr. Luke, sentindo dores, e sem lembrar de como chegou lá. Imediatamente, ela ligou para sua mãe, Pebe Sebert, para relatar que foi estuprada, e que precisava ir para a emergência. Após essa ocasião, Luke levou Kesha para a praia, para “conversar”, e foi quando ele fez ameaças a ela e a sua família, além de ameaçar destruir sua carreira, e também ameaçar prejudicar o bem estar físico da família de Kesha. O medo das ameaças manteve Kesha presa ao Dr. Luke, pois ele é alguém poderoso e rico. Assim, esses abusos se tornaram algo normal na vida cotidiana de Kesha, a ponto de prejudicar sua auto-estima e anular seu amor-próprio, além de fazê-la acreditar, que ela merecia ser tratada assim.

Neste momento, a carreira de Kesha começou a alçar voos mais altos, e seus vocais foram colocados na canção Right Round, do rapper Flo Rida, porém ela nunca foi creditada e nunca recebeu por esse trabalho.

Apesar do sucesso de seu primeiro álbum, Animal, Dr. Luke nunca parou de insultar Kesha em relação a tudo, como composições, roupas, cabelo, vocais, aparência, forma física, músicas, além de compará-la, de forma negativa, com outros artistas, e dizer que ela estava abaixo dos padrões de Hollywood. Dr. Luke também prometeu renegociar seu contrato unilateral com ela, como geralmente acontece quando um artista consegue conquistar um nível mais elevado em sua carreira, ao conseguir certificados de platina, mas essa renegociação nunca aconteceu.

A seguir, é possível conferir as grosserias que o produtor dizia para Kesha:

– “Você não é tão bonita assim e nem tão talentosa. Você só tem sorte de me ter”
– “Estou cagando se você não quer cantar isso, vá lá e faça”
– “Você foi pra farra ontem? Você está soando como uma merda”
– “Acabe logo essa música para que eu possa comprar um iate”
– “Existem milhões de outras garotas como você”
– “Sem mim você é nada”

Dr. Luke também dizia, na frente de várias pessoas, que Kesha era gorda, insistia que ela precisava emagrecer, e falou que ela era “gorda como uma p**** de uma geladeira”. Além disso, o produtor controlava totalmente o conteúdo dos álbuns, ignorando o feedback dela, além de forçar Kesha a escrever músicas sobre temas que ela não queria. Dr. Luke decidia quais seriam as músicas de trabalho, e enviava essas músicas para as rádios, sem que Kesha soubesse. E de acordo com o contrato abusivo, sem possibilidade de renegociação, Dr. Luke também deveria aparecer como compositor de tudo o que era escrito por Kesha. Luke também forçou-se como produtor executivo no reality show “My Crazy Beautiful Life”, que foi ao ar na MTV em 2013, além disso, Dr. Luke extorquiu dinheiro do irmão de Kesha, Lagan Sebert. O produtor chegou até a ameaçar de matar o cachorro da mãe de Kesha, se ela deixasse o animal chegar perto dele, durante uma gravação.

Um dia, na casa de Dr. Luke em Malibu, ele atacou Kesha. Porém ela escapou ao sair correndo descalça pela rua e se embrenhar em montanhas próximas da casa.

O controle do produtor era tal que ela tinha medo de conceder entrevistas, fazer tweets ou mandar mensagens com algo que ele poderia vir um dia a usar contra ela.

No começo de 2014 Kesha foi para a reabilitação com bulimia nervosa (comer quantidades absurdas de comida e vomitar depois). Ela estava com depressão profunda, estresse pós traumático, ataques de pânico e isolamento social. Apesar de tudo, ela ainda continua sendo obrigada a trabalhar com ele e ganhando muito pouco, porque ele fica com todo o dinheiro, por conta dos contratos abusivos.

No processo, também é revelado que Dr. Luke usa suas empresas, como a Kemosabe Records, para abusar e explorar outros artistas além de Kesha. Na ação, também são discriminados os crimes cometidos e as respectivas violações das leis da Califórnia, além de citar as empresas que ratificam o comportamento ilícito do produtor, por encobrir suas ações, forçando Kesha a continuar trabalhando com ele, sob ameaça de que, com a quebra desse acordo, sua carreira seria arruinada por conta de multa.

Ao final, são expostos os pedidos, que são:

– Indenização punitiva de quantia a ser determinada pelo tribunal
– Decisão de anulação dos contratos de Kesha com Dr. Luke e suas empresas, gravadoras e editoras
– Liberdade para gravar e produzir com quem ela quiser

E nesta quarta-feira (15.10), o advogado de Kesha, Mark Geragos, que já teve como clientes o cantor Michael Jackson e Chris Brown, concedeu uma breve entrevista para o Good Morning America, onde ele falou sobre as alegações no processo de Kesha contra o produtor:

Temos testemunhas, temos evidências e temos provas cabais em mãos.

Mark também disse que Kesha estava com bastante trepidação, em relação a sua ação legal contra Dr. Luke. O advogado também conta que Kesha está bastante resiliente sobre o processo, e que ela está em um bom lugar, onde ela se sente forte o suficiente para conquistar a vitória. O representante de Kesha também disse que ela está conseguindo ter coragem para enfrentar as ameaças do produtor, mas que passar por essa situação, de também ser vítima de estupro, vítima de coação e assédio moral, ameaças, agressões, é algo assustador e devastador, especialmente quando é algo que já acontece desde muito tempo.

Para assistir o vídeo da breve entrevista do advogado de Kesha ao GMA no canal norte-americano, ABC, clique AQUI.

O processo de Kesha contra Dr. Luke também foi assunto no programa The View, nessa quarta-feira, e Sharon Osbourne também defendeu Kesha.

E no programa ET também ocorreu o comentário de que esse processo é um grande negócio, especialmente porque Kesha foi uma das artistas que mais contribuiu para que o produtor Dr. Luke tivesse o dinheiro que quem, além de ter sido dito que apenas “Timber”, que é composição e interpretação de Kesha, faturou quase 20 milhões de dólares.

Fontes: popdust.com | ibitimes.com



Twitter



Facebook