Post publicado por César
14.10

print
 

O site TMZ.com divulgou recentemente uma polêmica notícia, de que Kesha moveu uma ação judicial contra o produtor musical Dr. Luke, por conta de abusos sofridos durante o período de 10 anos, que também é o tempo desde quando Kesha começou a trabalhar com o produtor. Nesse tempo, Kesha sofreu abusos sexuais, verbais, emocionais e físicos, ao ponto de quase morrer e ir parar em uma clínica de reabilitação, por conta de um distúrbio alimentar, no começo do ano.

 

De acordo com o processo, no qual Kesha é representada pelo advogado, Mark Geragos, a cantora afirma que Dr. Luke era abusivo em relação a ela, quase que desde o começo, quando ela assinou um contrato com ele aos 18 anos de idade, e ele fez investidas, chegando a forçá-la a usar álcool e drogas para dopá-la, e assim, limitar suas defesas.

Em um exemplo, Kesha afirma que ele a obrigou a inalar uma substância antes de entrar em um avião, e durante a viagem, ele se aproveitou fisicamente dela, enquanto ela estava dopada.

 

Em outra ocasião, Kesha afirma que foi forçada a beber com ele, e Dr. Luke deu-lhe o que foi chamado por ele de “pílulas de sobriedade“. E na tarde seguinte, ela acordou nua na cama do produtor, com machucados, dores, e sem lembrança de como chegou lá.

 

Kesha disse que esse abuso a levou ao distúrbio alimentar, depois da declaração dela de que o produtor a chamou de “a p**** de uma geladeira gorda” durante o set de gravação do videoclipe de “Die Young”, em 2012. Kesha afirma que Dr. Luke também lhe disse: “Você não é tão bonita, você não é tão talentosa, você só tem a sorte de me ter.

 

Kesha também relatou agressão física, uma vez que ela conta que Luke em sua casa em Malibu, tentou agredi-la, porém, ela conta que conseguiu escapar, ao sair correndo descalça.

 

O pedido de Kesha ao juiz, consiste em fazer com que ela saia desse contrato com Dr. Luke, e sua gravadora (Kemosabe Records), que é uma divisão da Sony Music/RCA Records nos Estados Unidos.

 

O advogado de Kesha, que já teve Michael Jackson e Chris Brown como clientes, disse ao TMZ:

Esta ação é uma verdadeira tentativa de Kesha para recuperar o controle de sua carreira musical e sua liberdade pessoal, depois de sofrer por 10 anos, e ser vítima de uma tentativa de manipulação mental, abuso emocional e investidas sexuais nas mãos de Dr. Luke. Os fatos apresentados no processo pintam o quadro de um homem que é controlador e disposto a cometer atos horríveis de abuso em uma tentativa de intimidar uma artista jovem, talentosa e impressionável, e fazê-la ser submissa para seu ganho pessoal. Kesha está focada em mudar sua vida e sua carreira.

 

Confira o processo digitalizado clicando no link AQUI

 

Em contrapartida, de acordo com o que foi noticiado recentemente pelo site Just Jared , o produtor musical Dr. Luke também está movendo uma ação judicial contra Kesha, afirmando que ela está mentindo, apenas para quebrar contrato. Christine Lepera, representante legal do produtor musical afirma, para o TMZ,  que Kesha está fazendo uma campanha de fazer declarações falsas e ultrajantes.

 

Dr. Luke diz que Kesha tentou extorqui-lo, além de espalhar mentiras sobre ele, em um plano engendrado por sua mãe, Pebe Sebert, e sua empresa de gestão, a Vector Management. O advogado de Dr. Luke disse que “Kesha e Pebe admitiram que fizeram declarações falsas”.

 

ATUALIZAÇÃO

Surgiram novas informações, tanto da ação movida por Kesha, quanto da ação movida por Dr. Luke.

Embora as alegações de abuso sexual recebam maior destaque, na ação, Kesha alega que sua família também foi ameaçada se ela mencionasse algo sobre os atos de abuso do produtor. Além disso, Kesha alega que Dr. Luke também forçou ela a continuar submetida a um contrato unilateral de longo prazo, cujo efeito era o de negar-lhe todo o lucro significativo de seu trabalho com o produtor. Kesha também alega que o produtor resistiu a renegociação de seu contrato, além de ser imposto que, nos créditos de produção das músicas, ele também deveria aparecer como compositor, obrigatoriamente. A cantora também conta que o produtor forçou-se em um papel de produtor executivo do reality show “My Crazy Beautiful Life“, que foi ao ar na MTV, durante o ano passado.

A ação judicial de Kesha é movida contra o produtor Dr. Luke, e sua gravadora afiliada, a Kemosabe Records, que também são acusados de ratificar o comportamento ilícito do produtor, por encobrir suas ações, forçando Kesha a continuar trabalhando com ele, sob ameaça de que, com a quebra desse acordo, sua carreira seria arruinada.

A medida solicitada pelo advogado de Kesha, visa anular o acordo de gravação com a gravadora do produtor, para que ela possa ingressar em contratos com outras gravadoras.

Já Luke, representado pela advogada Christine Lepera, alega, em novo documento, que estava sendo ameaçado há meses pela estrela e por sua mãe, Pebe, a liberá-la do contrato, ou então divulgariam as falsas acusações; uma cópia do processo divulgado hoje, foi enviada ao seu escritório há algum tempo, como uma forma de coação.

O produtor ainda afirma que todas as mentiras estão sendo orquestradas pela mãe da americana, procurando uma maneira de extorquir dinheiro, com a criação do site “Free Kesha”, que foi iniciado por um movimento de fãs e uma petição, na qual todas as acusações foram publicadas inicialmente.

Ainda não há uma declaração oficial de nenhuma das partes diretamente sobre o assunto.

Apenas o advogado de Kesha, Mark Geragos, se pronunciou sobre as alegações do produtor Dr. Luke em sua ação judicial de resposta à ação movida por Kesha contra o produtor:

Este é apenas mais um exemplo patético e totalmente previsível de abuso contínuo de Dr. Luke, e uma tentativa equivocada de manter Kesha sob seu controle tirânico. Essa ação não tem absolutamente nenhuma base na realidade, a lei ou a realidade. Kesha está focada em recuperar sua voz e sua liberdade. Ela está determinada a seguir em frente com sua vida e sua carreira, colocando este período negro atrás dela.

 

E são divulgados mais detalhes sobre o processo de Kesha na internet.

Na ação movida contra o produtor Dr. Luke, Kesha afirma que o produtor estava traindo sua esposa grávida, e que ele exigia que ela realizasse um aborto, e iniciasse práticas sexuais com outras mulheres em casas noturnas. Além disso, Kesha conta no processo, que constantemente era insultada por Luke, por conta de suas composições, sua voz, suas roupas, sua aparência e seu corpo. Ele dizia que ela era muito abaixo de seus padrões e dos padrões de Hollywood.

Kesha revela que posteriormente descobriu que o apelido “Dr. Luke”, possui raízes insidiosas, e que o “Dr.” do pseudônimo, “Dr. Luke”, resulta de tráfico de drogas para artistas, durante seus 10 anos como guitarrista na banda do Saturday Night Live.

No processo é relatado também que, as chamadas “pílulas da sobriedade”, na verdade se tratavam de droga de estupro, GHB.

Em seu pedido, Kesha requer indenização punitiva e decisão que anula os contratos com as empresas do produtor musical.  Ela alega agressão sexual, espancamento, assédio sexual, estresse emocional, retenção negligente e supervisão, e as violações de várias leis da Califórnia.

Fontes: HollywoodReporter.com | Vagalume.com (com adaptação do KSBR)  | celebuzz.com | CourthouseNews | inquisitr

Vamos aguardar por mais detalhes e pronunciamentos feitos diretamente por Kesha, sua mãe Pebe e o produtor musical, Dr. Luke. Essa publicação está sujeita a receber novas atualizações.



Twitter



Facebook