Post publicado por Samuel D
09.07

Recentemente, Kesha voltou ao mundo da música com um single inédito chamado “Praying” e o anuncio de seu terceiro álbum de estúdio, intitulado “Rainbow” que chega as lojas no dia 11 de agosto. 

Desde que os primeiros veículos de mídia começaram a comentar (e elogiar) o lançamento do single de retorno de Kesha, não demorou muito para Dr. Luke se pronunciar a respeito, anunciando que a artista só voltou a lançar matérial inédito porque teve sua permissão – apesar de não ter trabalhado com ela em estúdio ou não participado de nenhuma etapa do processo criativo.

O fato é que Kesha ‘deve’ mais dois álbuns a Sony/RCA (sem contar “Rainbow”) e, segundo a jornalista Taffy Akner do The New York Times, o terceiro registro de Kesha só foi possível graças a pressão imposta pelo tribunal e pelo público à gravadora, através de movimentos como a hashtag ‘#FreeKesha’ e sua adesão por inúmeras personalidades da mídia a favor de Kesha quando a cantora teve seu pedido de liminar rejeitado no último ano. 

Porém, como Dr. Luke deve se desvincular da Sony em alguns meses, a carreira de Kesha ficará completamente a seu controle, cabendo-lhe qualquer tomada de decisão sobre os dois próximos álbuns da artista, incluíndo quando e se serão lançados.

Caso o produtor implique em estagnar os próximos dois projetos de Kesha, a cantora continuará presa em seu contrato para sempre. 



Twitter



Facebook