Post publicado por Samuel D
29.05

Mesmo tendo lançado “Rainbow” sem envolvimento criativo por parte de Dr. Luke, Kesha ainda é contratualmente presa ao produtor em questões de lucro e direitos autorais. Nesta terça-feira, a Suprema Corte decidiu bloquear Kesha de emitir qualquer tipo de acusação jurídica que anule seu relacionamento profissional com o produtor acusado de assédio sexual. 

Os advogados de Kesha contra-argumentaram a decisão com uma lei vigente no estado da Califórnia que limita os contratos de serviços pessoais a no máximo sete anos, e que deveria ser aplicada no caso de Kesha, dando a cantora a opção de não renovar seu contrato com Dr. Luke. Mas o tribunal rebateu dizendo que a lei não era aplicável em Nova York, onde o caso está se desenrolando. 

Em meio a isso, Dr. Luke disse que sua conta bancária está sendo prejudicada com as acusações, visto que sua carreira foi manchada e acabou perdendo a chance de trabalhar com nomes como Katy Perry. De acordo com documentos recentemente arquivados no caso, Dr. Luke está pedindo US$ 50 milhões em danos a Kesha por ter “difamado-o com alegações falsas de agressão sexual”. 



Twitter



Facebook