Post publicado por Pedro I.
20.08

Hoje (20.08), a Billboard confirmou que o álbum “Rainbow”, da Kesha, alcançou o topo da Billboard 200, ranking que mostra o desempenho de álbuns de música nos Estados Unidos, contabilizando vendas dos álbuns em formato físico, digital e seu desempenho nas plataformas de stream.

O álbum estreou com 116,000 vendas, sendo delas, 89.000 em formato físico ou digital e o restante de acordo com as plataformas de stream. O número teve uma redução de 4.000 cópias, ao comparar com a contabilização feita pelo HDD (a Billboard utiliza os números entregues pela Nielsen Music).

“Rainbow” foi lançado no dia 11 de agosto e se torna o segundo álbum da cantora a alcançar o topo dessa parada, sendo o primeiro o álbum “Animal”. A estréia do álbum também tem destaque como o segundo melhor número de vendas de 2017 por uma mulher.

FONTE: Billboard


Post publicado por Samuel D
18.08

Hoje (sexta) a contabilização de vendas da semana do dia 11 ao 18 se encerrou, e, embora os números oficiais fiquem para a semana que vem, o Hits Daily Double, um tabloide especializado em charts, divulgou os últimos números atualizados e apurados extraoficialmente. Segundo a contabilização do HDD, “Rainbow” fechou sua primeira semana com 93.269 cópias puras e 119.980 vendas adicionadas a streams. Confira: 


Post publicado por Samuel D
17.08

Após previsões apontarem que “Raimbow” estreará em #1 na Billboard 200, o tabloide norte-americano publicou um artigo dissertando sobre como Kesha não precisa de Dr. Luke, antigo produtor da artista, acusado de abuso psicológico e sexual. Confira alguns trechos da matéria:

“Agora, o mesmo cara que a impediu-a de lançar o álbum Lipsha com a banda The Flaming Lips, tem que permitir que ‘Let ‘Em Talk’ e ‘Boogie Feet’, duas colaborações furiosas com o Eagles Of Death Metal, duas músicas country, várias baladas e um single promocional feminista sejam lançadas em um álbum que deve se tornar o seu segundo #1. Quase não há sintetizadores eletrônicos ou Autotune no ‘Rainbow’ […] Se Luke gosta disso ou não, a mensagem foi entregue de qualquer forma. Ele pode possuir os direitos de publicação dessas músicas legalmente, mas o mundo sabe que seu tempo controlando Kesha é limitado a extratos bancários e ações judiciais. Kesha possui o ‘Rainbow’, todo o sucesso que vem com ele – incluindo artisticamente, pois é muito provável que seja seu melhor álbum (e certamente o mais aclamado) até o momento – e todos os relatórios indicam que ela mesma é a responsável por isso. Claro, Dr. Luke provavelmente recebe dinheiro com isso. Mas se o ex-produtor fizer uma festa na casa de um cara rico (referência a uma música da Kesha), provavelmente ela ficará mais vazia a cada ano que passar.”

Fonte: Billboard / RDT Pop


Post publicado por Samuel D
17.08

Hoje, caiu na rede um pequeno trecho do videoclipe de “Hymn” (que não iremos divulgar por respeito a cantora), reforçando assim as suspeitas de que a faixa será o 2º Single oficial extraído do “Rainbow”, novo álbum de Kesha. 

O fato é que especulações  sobre o lançamento de “Hymn” como single oficial já vêm borbulhando há algum tempo. Segundo insider, a música inicialmente seria o terceiro lançamento de Kesha nas semanas em que a cantora liberou uma faixa por vez, porém os planos mudaram para aproveitar o buzz de “Praying” e “Woman”. Algumas semanas depois, Kesha lançou “Hymn” como Single promocional, e… surpresa: Ao contrário de todos os outros lançamentos (oficiais e promocionais), o hino não contou com lançamento conjunto com videoclipe, apenas um áudio oficial, reforçando a hipótese de que a faixa seria trabalhada como Single oficial futuramente, já que Kesha já havia confirmado a existência de um vídeo para a canção. 

Agora é questão de esperarmos para ver qual vai ser o desfecho do Hymnário. 

UPDATE: O trecho do clipe de “Hymn” não foi vazado e sim anexado oficialmente em um anúncio promovido por Kesha no Facebook! Confira:

 


Post publicado por Samuel D
16.08

Em uma matéria para a Rolling Stone, Dolly Parton comentou brevemente sua colaboração com Kesha para o novo álbum da cantora (“Rainbow”), na regravação de Old Flames (Can’t Hold a Candle To You), originalmente escrita por Pebe (mãe de Kesha) e gravada por Dolly. Confira: 

E falando de novas gerações, Dolly também falou sobre colaborar com a Kesha para uma recriação de seu sucesso de 1980 “Old Flames”, que aparece como um dueto no recente álbum de retorno da cantora, “Rainbow”. 

“Eu conheço [Kesha] por causa de sua mãe”, disse Parton sobre Pebe Sebert, um compositora de Nashville que originalmente escreveu “Old Flames”. “Foi uma das minhas músicas favoritas que já fiz”, continuou Parton, relembrando como ela aceitou o convite de Kesha para regravar a música com ela. “Eu disse:” Por que você escolheu fazer essa música? Essa é uma escolha incomum para você “. Ela disse: “Bem, porque minha mãe escreveu isso”.

Fonte: RS


Post publicado por Samuel D
15.08

Ontem, a faixa bônus da versão japonesa do “Rainbow”, chamada “Emocional” foi divulgada na rede. A música tocou muitos fãs por sua letra sentimental. Confira tradução: 

[Intro]
God, I’m only human / Trying to face it all /But I don’t want to get emotional

Deus, sou apenas humana / Tentando encarar tudo / Mas eu não quero ficar sentimental 

[Verse 1]
It started in November / I started losing my mind / I ended up in rehab / I don’t want to cry / But people can be so mean / And I don’t understand why / And when they say I can’t sing / I just want to die

Começou em novembro / Eu comecei a enlouquecer / Acabei na reabilitação / Eu não quero chorar / Mas as pessoas podem ser tão más / E eu não entendo o motivo / E eles dizem que eu não consigo cantar / Eu apenas quero morrer 

[Pre-Chorus]
Trying to keep my shit together / When will this get any better? / I’m trying so hard not to break down

Tentei aguentar essa merda / Quando isso vai melhorar? / Eu estou tentando com todas as minhas forças não desabar 

[Chorus]
God, I’m only human / Trying to face it all / But I don’t want to get emotional / Walking on a tightrope / Trying not to fall / But I don’t want to get emotional

Deus, sou apenas humana / Tentando encarar tudo / Mas eu não quero ficar sentimental / Andando numa corda bamba / Tentando não cair / Mas eu não quero ficar sentimental 

[Verse 2]
I didn’t mean to do this / Didn’t mean to sell out / Got everything I ever thought I wanted / Now I can’t get out / I saw the love of my life / Leave me for his new wife / Stab me right in the heart / With a fucking knife

Eu não quis fazer isso / Não quis vender minha integridade / Tinha tudo que eu pensei que quisesse / Agora não consigo sair / Eu vi o amor da minha vida / Me deixar para viver sua nova vida / Me esfaqueou no coração / com a p*rra de uma faca

[Pre-Chorus]
Trying to keep my shit together / When will this get any better? / I’m trying so hard not to break down

Tentei aguentar essa merda / Quando isso vai melhorar? / Eu estou tentando com todas as minhas forças não desabar 

[Chorus]
God, I’m only human / Trying to face it all / But I don’t want to get emotional / Walking on a tightrope / Trying not to fall / But I don’t want to get emotional

Deus, sou apenas humana / Tentando encarar tudo / Mas eu não quero ficar sentimental / Andando numa corda bamba / Tentando não cair / Mas eu não quero ficar sentimental 

[Bridge]
I’m driving back home through the canyon / There’s only so much that I can’t handle / Nobody knows it, nobody knows it / I’ve never shown it, I’ve never shown it / I’m supposed to be the girl that never does this / I’m supposed to be some party girl that stands for nothing / Nobody knows it, nobody knows it / I’m about to lose it, I’m about to lose it

Estou dirigindo para casa pelas montanhas / Tem tanta coisa que não consigo aguentar / Ninguém sabe, ninguém sabe / Eu nunca mostrei, eu nunca mostrei / Eu deveria ser a garota que nunca faz isso / Eu deveria ser a garota festeira que não se impõe por nada / Ninguém sabe, ninguém sabe / Que eu estou prestes a enlouquecer,  estou prestes a enlouquecer

[Chorus]
God, I’m only human / Trying to face it all / But I don’t want to get emotional / Walking on a tightrope / Trying not to fall / But I don’t want to get emotional

Deus, sou apenas humana / Tentando encarar tudo / Mas eu não quero ficar sentimental / Andando numa corda bamba / Tentando não cair / Mas eu não quero ficar sentimental 

 


Post publicado por Samuel D
15.08

O cantor Elton John mandou uma mensagem para Kesha em seu através  da rádio Beats1. Confira:

 “Eu estou tão feliz que Kesha fez um álbum tão maravilhoso. Estou tão animado por ela porque ela passou por um inferno. E eu fiquei sabendo [de sua volta] porque Ben Folds me mandou um e-mail para me falar que estava trabalhando em seu álbum, e eu sou muito amigo do Ben. Estou tão animado por ela.”

 


Post publicado por Samuel D
14.08

Como é um hábito no mercado, Kesha lançou uma versão japonesa do álbum “Rainbow” com uma faixa bônus chamada “Emotional”. Até agora a música não caiu na rede, mas um fã postou um trecho em suas redes sociais, confira: 

UPDATE: O Kesha Brasil consegui a faixa completa com exclusividade:


Post publicado por Samuel D
14.08

Kesha comentou todas as faixas de seu novo álbum “Rainbow” para o site NPR Music. Confira a tradução: 

“Bastards” é uma música que eu escrevi sozinha em um violão às 4 da manhã. Eu escrevi ela porque não entendo por que as pessoas são más pra c*ralho umas com as outras, mas não posso mudar isso e escrever sobre é como eu lido com tudo. Eu escrevi essa música para pessoas que dificilmente entendem isso também. Eu simplesmente não gosto de valentões, e a gentileza não é superestimada. Quando eu falo sobre isso com meus amigos, eles riem de mim e me dizem que eu soo como se tivesse 5 anos – mas é verdade, é muito bom ser legal.”

“Let ‘Em Talk” é uma das minhas músicas favoritas no álbum. É uma espécie de parte de um trilha para corridas: basicamente é sobre os mesmos bastardos que tentam derrubá-lo, mas é sobre não ligar para eles, deixar de controlar as coisas e deixá-los fazer o que vão fazer de qualquer jeito. Você não pode impedir que eles falem sobre você, então deixe-os falar e, enquanto eles estão falando sobre você, apenas dance e ria sobre isso.”

“Woman” é outra das minhas músicas favoritas. Esta música é sobre ser uma mulher, um ser humano e orgulhosa da confiança que encontrei. Eu finalmente sinto que ganhei o direito de dizer “eu sou uma mulher da p*rra”. E eu sempre tive esse direito, mas eu apenas me sinto como uma mulher agora mais do que nunca.

Eu escrevi esta música com dois homens incríveis [Drew Pearson e Wrabel] que são tão maravilhosos e tão fabulosos, que têm lados femininos realmente fortes e que realmente adoraram escrever essa música comigo. Foi uma experiência muito bonita escrever esta música com dois homens.

Eu também lembro de pensar em um dos meus sonhos mais selvagens que eu adoraria que os Dap-Kings tocassem na faixa. Mas então eles fizeram e Saundra Williams, que cantou com Sharon Jones, cantou vozes de fundo também. Espero que você possa perceber o quão divertido foi quando você escuta a música.”

“Hymn” é uma música que é para pessoas que sentem que não têm um hino. Ao crescer, nunca senti que me encaixava em qualquer lugar. As letras são “este é um hino para os ímpios, crianças sem religião” – e a religião, para mim nesta música, não significa religião como na sua crença espiritual. Mas é mais sobre crianças sem formas ou regras de vida específicas, ou que não conhecem sua verdade absoluta – como se você ainda estivesse tentando descobrir o que você acredita e qual é a conexão com o universo e a vida.”

“Praying” é uma música que é realmente especial para mim. Eu sinto que mostra minha voz de uma maneira que nunca foi exibida antes em toda a minha vida. E é a primeira vez que trabalhei com Ryan Lewis, o que é realmente emocionante. Sou um grande fã de seu trabalho com Macklemore. Ele veio até mim com essa idéia, e pensei que era tão bonita porque acho muito importante encontrar cura.

‘Orar’ para mim é meditação; Também é realmente enérgico, é realmente introspectivo, é muito pessoal. A própria música também é uma espécie de todos esses mesmos pensamentos – É falar sobre passar por coisas difíceis e sair do outro lado e estar bem. Há uma letra que diz: “Às vezes rezo por você de noite”, e isso é apenas algo que adotei como um mantra de cura para mim. Ex-namorados, presidentes que eu não gosto – eu realmente rezo por eles, porque isso me ajuda e isso me ajuda a curar.”

“Learn To Let Go” é uma música que escrevi com minha mãe e Stewart Creighton. No primeiro dia, nós tínhamos escrito essa melodia incrível, mas depois ficamos presos, e eu estava tão frustrada. No dia seguinte, tomamos café da manhã com um amigo meu. E o simples fato de estar falando com ela me inspirou, eu estava tão inspirada em estar em torno de alguém que teve o passado que teve, mas ainda é uma fonte de luz.

Stuart sempre me diz que eu estava na piscina e fui correndo até ele com uma idéia selvagem para o verso, pré-refrão e refrão, pingando em um traje de banho antigo – e essa ainda é a voz que está na música finalizada.”

“Eu trabalhei com Ricky Reed em “Finding You”, e também Justin Tranter, que costumava estar nesta banda chamado Semi Precious Weapons; Ele é meu amigo há anos. Esta música começa com um riff de guitarra realmente interessante, estranho – mas ainda bonito -. Foi aí que começamos: tentando encontrar melodias realmente estranhas.

Eu era como, “Sim, vamos ficar com isso!” – e então foi como, “O que nós fazemos com isso?” Então nos sentamos no chão e só começamos a falar, e eu lembro de falar sobre meu namorado – sobre como eu realmente o amo. E eu também realmente, realmente espero que eu tenha múltiplas vidas, porque não consigo suportar o pensamento de apenas uma vida com as pessoas que eu amo. Então, esta música é sobre minha crença de que temos grupos de almas e quando eu morrer eu quero encontrar as pessoas que eu amo na próxima vida. Uma vida não é suficiente quando você ama alguém tão profundamente que dói.”

“Rainbow” foi a primeira música que escrevi para 0 disco. Eu estava em reabilitação tratando de meu transtorno alimentar. Eu estava sentada no chão, e eu implorava a direção da reabilitação para me deixar ter um teclado por uma hora a0 dia e, finalmente, eles cederam. E por essa uma hora por dia eu brinquei com o instrumento e escrevi “Rainbow”. “Rainbow” era apenas minha promessa, minha carta para mim mesma de que as coisas iriam melhorar. Foi meu mantra, porque no final de uma tempestade vem um arco-íris. É também a oitava canção no Rainbow, uma referencia para “God Only Know” em Pet Sounds.”

“Hunt You Down” é uma música que fiz com Rick Knowles. Eu estava ouvindo muito Dolly Parton e Johnny Cash e Waylon Jennings, e outros foras da lei da música country. Eu queria voltar às raízes. Lembro-me de ouvir uma música onde um cara estava falando sobre como ele tinha o revólver no bolso e ele ia atirar na garota porque ela estava dormindo com seu melhor amigo ou algo assim. E eu estava tipo, “OK – Bem, se um homem pode dizer isso, então vou escrever uma música sobre como se você me enganar, eu vou te matar”. Então, é isso que é “Hunt You Down” – é uma espécie de resposta feminista e linguada a todas as músicas de cowboy fora da lei da perspectiva masculina sobre mulheres traidoras.”

“Boogie Feet” é uma música realmente divertida que fiz com minha mãe e Drew Pearson. Nós nos reunimos e não sabíamos que tipo de música escrever – tudo o que sabia era que eu só queria escrever uma música muito divertida. Eu estava com vontade de escrever uma música do c*ralho, e eu disse: “Você está com medo desses pés dançantes?” Lembro-me de minha mãe dizendo: “ah não”, e Drew estava tipo, “Isso é realmente apenas ruim”, e todos estavam rindo de mim. Eu disse: “Não, apenas confie em mim – é ruim, sim, mas de uma boa maneira. Há uma linha tênue”.

“Eu sempre imagino cenas para as coisas quando eu escrevo, então, quando eu estava imaginando o vídeo para “Boots”, eu estava me vendo andando pelo meio da rua, no meio do deserto com as mais velhas botas de cowboys, como se estivesse saído de um filme de Quentin Tarantino. As letras estão falando sobre como eu costumava ter meninos em todo os lugares, o que eu achava que era muito legal – e, de repente, minha estilista me apresentou a esse cara chamado Brad, e agora eu o fisguei e eu o amo. É uma canção de amor jovem, divertida, sobre ficar pelada com suas botas, divertida.”

“Old Flames (Can’t Hold a Candle To You)” é uma música que minha mãe escreveu para Dolly Parton. Foi lançada em 1980, e também foi regravada por Johnny Cash, June Carter, Dolly Parton e Merle Haggard. É um clássico da música country. Eu cantei muitas vezes em meus shows, e já gravei ela antes – no meu EP Deconstructed. Eu simplesmente amo a música – está na nossa família, e sempre foi um sonho gravá-la com Dolly Parton. Sempre foi uma daquelas coisas que são muito absurdas para falar alto, então você não fala sobre. Eu me senti boba dizendo isso em voz alta, porque, quero dizer, é Dolly Parton.

Sempre olhei com Dolly. Eu sempre quis fazer uma tatuagem: “O que Dolly faria?” Porque penso nisso sempre que estou em situação de escolha ou quando estou numa entrevista. Ela é apenas uma bússola tão positiva para mim na minha carreira como mulher. O fato de eu realmente ter cantado “Old Flames” com ela neste álbum é um negócio realmente, realmente, muito grande para mim – eu sonhei muito grande, mas eu não tinha certeza se isso realmente aconteceria. Ainda assim, sempre que eu escuto isso, me deixa arrepiada e me faz chorar porque ela é uma lenda do c*ralho; Ela é um ícone. Estou tão agradecida. Este álbum é especial por tantos motivos.”

“Minha mãe começou a escrever “Godzilla” há muito tempo. E ela mostrou para mim e me lembro de pensar, “Esta é a melhor música. Eu amo essa música pra c*ralho”. E pensei que outro artista iria lançar ela. Isso foi há anos. E eu estava tipo, “Estou tão feliz por você. Mas se alguém não lançar, eu definitivamente adoraria gravar essa música”. É tão caprichosa. Isso me lembra a música “Vegetables” de Brian Wilson. É tão bizarro, mas brilhante, bonito e estranho.”

“Spaceship” é sobre como eu sinto que sou um pouco empática e frágil demais para este mundo. E há até uma estrofe no segundo verso que diz: “Há muita dor para esse coração. Deus sabe que este planeta se sente como um lugar sem esperança. Graças a Deus, eu vou voltar para o espaço sideral”. Eu espero que quando morrer, que eu apenas viaje para o espaço e encontre minhas amigas de alma e nós simplesmente flutuemos juntas no éter do espaço. E, no final da faixa, é como se uma nave espacial voltasse para o espaço. Eu sinto que talvez, como eu me sinto desconexa aqui embaixo, talvez eu me sinta em casa, finalmente, quando voltar para lá.”

Fonte: NPR Music


Post publicado por Samuel D
12.08

Confira a carta aberta de Kesha escrita para a refinery29 sobre a gravação da canção “Rainbow”, novo álbum e turnê:

Eu estava em um lugar muito escuro. Eu estava sozinha e assustada na reabilitação para tratar de um transtorno alimentar que havia ficado descontrolado. Eu não tinha permissão para trabalhar ou acessar qualquer tecnologia – sem telefone, sem computador, sem mensagens de texto, sem mídias sociais. No início, eles também não me deixaram ter nenhum tipo de instrumento musical. Eu implorei que me deixassem ter um teclado – até um teclado de brinquedo. Eu tinha tantas emoções, e eu não sabia como mais lidar com elas. Escrever músicas é a única maneira de saber como processar as coisas. Fiquei impaciente. Lembro-me de implorar e suplicar, até que finalmente concordaram que eu poderia ter um teclado por uma hora ao dia.

Meu namorado Brad me enviou seu teclado e alguns fones de ouvido fofinhos que estavam caindo aos pedaços. Todos os dias eu sentei lá no chão e tocava-o. Foi assim que a música “Rainbow” veio. Toda a ideia do álbum e turnê e tudo, vieram até mim enquanto chorava, cantava e sonhava tocando o teclado até eu ficar feliz, aí eles tiravam ele de mim novamente. Todos os dias eu simplesmente chorava e tocava aquela música porque sabia que tinha que superar esse momento incrivelmente difícil. Eu sabia que tinha que mudar e aprender a cuidar e me amar, e eu não tinha idéia de como começar.

“Rainbow” foi o começo. Essa música e as letras eram uma carta pra mim mesma prometendo que eu iria cuidar de mim dali pra a frente e que eu ia ficar bem.

Desde esses dias difíceis e emocionais na reabilitação, comecei a imaginar que um dia eu lançaria um novo álbum e eu o chamaria de Rainbow. Por um longo tempo, não sabia se essa idéia era apenas uma fantasia, um fantasma para me manter acordando e sair da minha cama, ou se poderia realmente se tornar realidade. Mas eu simplesmente segurei essa idéia porque era tudo o que eu tinha. Eu simplesmente continuei dizendo: “Eu vou lançar o Rainbow, eu vou lançar o Rainbow. Eu vou fazer isso. Eu vou lança-lo. Eu vou fazer isso, vou fazer isso”. Essa idéia, e o apoio que recebi de fãs e estranhos, foi o que me ajudou a levantar todos os dias. Eu sei que esse álbum salvou minha vida.

“Rainbow” foi a primeira música que escrevi para este disco. Eu queria chamar o álbum de Rainbow porque depois da tempestade, há um arco-íris – e recentemente, eu sinto que experimentei algumas coisas que se pareceram como uma tempestade na minha vida. Esta era a minha maneira de dizer a mim mesma que eu ia fazer sobre isso. Eu tomei a decisão de tirar o sinal de dólar de meu nome. Eu acabei com minha atitude cínica e auto-depreciativa de ‘eu não dou a mínima” e o nome do meu twitter que combina com a ideia @keshasuxx. Eu me deixo ser 100% genuína, vulnerável e honesta na minha música. Eu costumava ser muito má comigo mesma. O arco-íris é minha carta de encorajamento, uma promessa de que quero iniciar um novo diálogo e ser mais solidária e melhor para mim.

Nos últimos dois anos, a cor tem simbolizado a esperança para mim. Eu não acho que seja uma coincidência que também seja simbólico para a comunidade LGBTQ, um sinal de liberdade para ser você mesmo e comemorar quem você é, não importa o que alguém pense. Tenho tentado trazer mais cores na minha vida porque essa luz me traz mais felicidade e mais alegria, e isso me faz sentir mais jovem e mais infantil. Eu quero me reconectar com essa parte de mim mesma. A ingenuidade e a alegria de uma criança é uma das coisas mais bonitas do mundo, e em algum lugar ao longo do caminho você pode se machucar ou se ferir ou ter o coração partido e às vezes você perde um pouco a alegria. Eu simplesmente não quero ser essa pessoa machucada. E não sou mais. Eu sou um testamento ambulante para alguém lá fora, com honestidade e amor próprio, que você pode se sentir completo novamente. Não importa o que tenha passado, mesmo que as coisas pareçam injustas e prejudiquem sua alma, não precisa definir quem você é. Você pode ser a pessoa que deseja ser hoje.

Há um verso em “Rainbow” que eu realmente amo: “O que resta do meu coração ainda é feito de ouro.” Eu realmente acredito nisso. É verdade para mim e também pode ser verdade para os outros. Eu sei que peças gigantes do meu coração foram mantidas em cativeiro no passado. Mas não mais. E o que resta é um puro ouro e ninguém pode tocar nisso.

Quando finalmente chegou a hora de entrar no estúdio e gravar “Rainbow”, eu sabia que queria fazer algo especial. Tudo o que eu tinha era esse vocal de piano que eu tinha gravado, mas queria que a música fosse orquestra da mesma forma que o álbum de Beach Boys, “Pet Sounds” é. Por sorte, meu amigo maravilhoso, gentil e muito bom, Ben Folds, concordou em produzir e gravar a música comigo. Fui fã da música do Ben desde que eu era uma criança e ele é um gênio musical. Trabalhamos no arranjo em conjunto, e depois alugamos a maior sala da Capitol Studios em Los Angeles – o mesmo quarto que Frank Sinatra gravou – e trouxemos uma orquestra. Ben queria que eu sentisse como era digna de comandar uma sala com minha voz. Sua crença em mim e encorajamento nos últimos anos realmente me ajudaram muito a confiar em mim e na minha voz. Foi um grande passo para mim dizer: “vamos apenas fazer isso”, e gravamos ao vivo com uma orquestra, porque é tão diferente de como eu fiz música no passado. Foi uma das mais belas experiências da minha vida.

Meu irmão, Lagan Sebert, entrou com uma equipe para filmar a gravação, que nos transformamos em um vídeoclipe para a música. É tão especial que realmente capturamos o real vocal em filme que é usado no registro. “Rainbow” é a 8ª música no meu novo álbum – uma referência para uma das músicas mais tocantes já escritas, The Beach Boys “God Only Knows”, que é a faixa 8 em Pet Sounds. Quando Ben finalmente me enviou uma mistura áspera da gravação, sentei na cama e chorei. Eu estava nervosa em gravar da mesma forma como meus ídolos haviam gravado, e eu estava tão orgulhosa de todo o processo e do resultado final.

“Rainbow” foi a música que iniciou um novo capítulo na minha vida. Antes disso, eu tinha priorizado as opiniões de outras pessoas sobre o meu poder superior. “Rainbow” foi o começo de mim mudando isso e sendo gentil comigo mesma. É um lembrete de que eu posso fazer isso através de qualquer coisa. Espero que essa música expele esperança e amor próprio, porque cada um de nós merece.

Muito amor, e espero que todos gostem da música “Rainbow”, do álbum Rainbow e da tour Rainbow. Deus sabe que eu nunca soube se eu chegaria até aqui hoje. Estou muito grata por ter isso. Beijos -k


Page 2 of 812345...Last »


Twitter



Facebook