Entrevistas | Kesha Brasil | Page 2

Post publicado por Samuel D
19.02

Ontem (18), Kesha foi fotografada chegando ao LAX Airport (Los Angeles), onde iria embarcar para Nova Iorque, a fim de comparecer ao tribunal hoje (20). Acompanhada da cantora, estava Brad, seu namorado. Kesha tirou fotos com alguns fãs presentes e conversou rapidamente com um repórter da TMZ, aonde agradeceu publicamente o apoio de seus fãs. Hoje acontece o julgamento do pedido de liminar da cantora, caso Kesha consiga uma resposta positiva do juri, ela estará autorizada lançar material inédito até que o processo contra Dr. Luke chegue a uma decisão final (prevista para 2016/2017). Confira abaixo fotos e o vídeo legendado:


Post publicado por Pedro I.
23.10

 

jem

Como já havíamos noticiado, Kesha tem uma participação no filme “Jem and The Holograms”, filme inspirando em um desenho animado do mesmo nome. O filme teve sua estréia no Estados Unidos na madrugada de hoje (23.10) e, na premiere, Kesha concedeu uma entrevista para o Entertainment Weekly.

Confira a tradução da entrevista logo abaixo:

Entertainment Weekly: Foi uma surpresa muito boa vê-la no papel de líder da banda The Misfits no final do filme. Como este projeto surgiu?

KESHA: Jem and the Holograms é, na minha opinião, um dos desenhos animados mais “foda” já feitos, porque é tudo sobre o poder das meninas e as rixas de estrelas do pop. Eu sempre idolatrei os cabelos e as maquiagens utilizadas no desenho, e cresci gostando disso. Pessoas já comentaram sobre como a minha maquiagem é parecida com a do desenho, ou perguntaram se já assisti ao Jem and the Holograms, porque meu cabelo parece ser inspirado nelas.
Quando soube que eles estavam fazendo disso um filme, chamei meu empresário e pedi para que ele me colocasse nesse filme.  E quando eu peguei o papel era como “Oh, isso é perfeito”. Eu não podia ter escolhido melhor meu primeiro papel para um filme. Meu sonho era ser Pizazz. Jem é um papel ótimo, mas Pizazz é mais agradável. Eu gosto de ser a única com um limite maior, um pouco mais má e divertida. Eu queria que fosse uma surpresa, queria que as pessoas assistissem e ‘Calma aí, é a Kesha?’.

Entertainment Weekly: O filme tem vários elementos do desenho animado, mas também foi atualizado para a nova geração. O que você acha sobre a forma como o filme está afastado do desenho animado?

KESHA: O desenho animado foi tão “coisa do momento” quando saiu, e eu acho que o filme é “coisa do momento” também, pois ele aborda como a indústria musical está agora. É muito diferente do que era na década de 80, por isso, aborda as mídias sociais, e que na indústria fonográfica você não pode confiar em todo mundo. Há partes obscuras, e você realmente tem que manter boas pessoas ao seu redor.
Ele realmente tocou em um monte de assuntos que pensei que são necessários para mostrar a maneira que a indústria da música realmente funciona. Não é exatamente como o desenho animado, mas eu não acho que ele deve ter sido exatamente como o desenho, porque no filme não apresenta nenhuma surpresa [sobre a indústria fonográfica]. Eu fiquei surpresa sobre como eles fizeram isso ser tão atual, e isso é muito legal, porque é um desenho animado de muitos anos se tornando super relevante hoje.

Entertainment Weekly: Você sabe que você é conhecida por ser uma cantora. Como você se identifica com a história da Jem?

KESHA: A primeira vez que vi o trailer, eu literalmente chorei, porque eu estava tipo, “Meu Deus, isso é tão real”.  Você cresce tendo esse sonho e é como uma fantasia absurda que você deseja para si mesma. Tudo o que eu sempre quis foi fazer o que faço. Você trabalha tão duro e as pessoas dessa indústria começam a tentar te mudar, corrigir você e colocar as coisas loucas em seu corpo que você talvez não se sinta confortável. [Eles] falam o que você tem que vestir, o que falar, como olhar, e de repente, seu mundo está de cabeça para baixo, e sua realidade é totalmente distorcida.
As pessoas tentam engana-la, e [na cena em que a executiva da Starlight Music Records oferece para Jem um contrato solo] eu queria dizer: “Jem, contrate um advogado! Não assine isso!” Eu realmente sentia por ela, porque quando você é jovem e ingênua, tudo que você quer fazer é fazer música e fazer o que você ama, porque você está apaixonada por isso. É lamentável como as pessoas nessa indústria tentam tirar proveito disso, mas a lição é que você precisa para manter as pessoas que você confia e o amor ao seu redor – que é realmente importante.

Entertainment Weekly: O filme termina com Erica se aproximando da The Misfits para derrubar Jem, definindo o filme para uma sequencia. Se houver, você e seus companheiros de banda estarão envolvidos?

KESHA: Claro que sim. Eu realmente espero que haja [uma continuação], porque antes de tudo, o cabelo verde neon é de longe o meu favorito, e também, porque eu gostava de estar no set de filmagens. Era tão diferente, e eu estava tão nervosa e fora de mim – Eu simplesmente adorei. Eu estou acostumada a fazer as minhas músicas, então para canalizar isso em um papel como atriz foi super emocionante para mim. Eu adoraria ter a oportunidade de fazer uma sequência.

Entertainment Weekly: Coincidentemente você apareceu nessa semana como a vizinha barulhenta de Jane Annabelle [em Jane the Virgin]. Atuar é algo que você pretende continuar fazendo? Existem outros meios artísticos que você está explorando agora?

KESHA: Sim, eu ainda estou atuando. É divertido explorar diferentes meios da arte e agora mesmo a minha [música] é uma espécie de carreira em espera. Eu estou encontrando outras maneiras de me expressar e de se conectar com os meus fãs. Eu sou [também] aberta para tudo. Criativamente, meu cérebro foi explodindo e eu tenho pintado. Eu acho que a coisa mais importante quando você é um artista é que você não pode deixar o seu fogo criativo artístico ser apagado. Você tem que mante-lo aceso de alguma forma.

Entertainment Weekly: O que você vem trabalhando na música atualmente? Existe algum cronograma para algo ser lançado?

KESHA: Estou morrendo de vontade de lançar músicas, tipo, literalmente. Mas enquanto eu não posso, eu só estou reunindo idéias e apenas rezando para que logo eu consiga lançar música. Eu não tenho nenhuma ideia de como vai soar. Tudo o que sei é que tenho muito a escrever sobre. Não há muito o que dizer agora. Nada de falar com certeza ainda, mas apenas orando por isso.

Entertainment Weekly: Voltando para o filme, você tem quaisquer pensamentos sobre este seu primeiro papel?

KESHA: Estou super grata pela oportunidade que Jon me deu neste filme. Eu realmente espero que as pessoas possam se conectar com o filme. É lunático em certos aspectos, mas em seguida também existem partes dele que estavam realistas em termos do fato de que você pode alcançar seus sonhos. Eu acho que é realmente importante, para os jovens, ver que você realmente pode. Se você está no caminho, é talentoso e quer algo, há uma maneira para isso acontecer, por isso não desista nunca sobre isso – e também, é só pegar um bom advogado.

FONTE: Entertainment Weekly


Post publicado por Samuel D
14.05

Captura de Tela 2015-05-14 às 15.57.35

As rotinas de beleza matinais de Kesha são mais simples do que você poderia esperar de uma garota um dia reconhecida por seus lábios pintados a ouro, com as pálpebras carregadas de lápis de olho e uma queda pública por glitter. Mas, durante uma recente visita aos escritórios da Vogue, a nova cantora de cara limpa admite que seus dias de garota festeira feroz ficaram por trás dela. Na cidade, em meio a turnê internacional e em estúdio trabalhando em novas músicas, sua pele saudável e com sardas é a prova de que ela realmente coloca isso em prova. “Eu realmente queria fazer uma mudança – estar mais crua e real”, explica a cantora sobre sua transformação visual, que é acentuada pela sua saia ultrafeminina e jaqueta. “Eu queria ser mais confiante em mim mesma – abraçar cada polegada do meu corpo – não tentar encobrir ele com maquiagem.”

A nova perspectiva da cantora é tão refrescante como também foi conquistada de maneira dura. Após o sucesso esmagador do single “Tik Tok” em 2009, a cantora nativa de Los Angeles se recorda de, inicialmente, cantar numa sala com 30 pessoas que se transformou numa multidão de quase 6000 pessoas em festivais, por noite. “De repente eu tinha todos esses fãs, mas também muitos críticos”. Sua personagem dominante de artista, com cabelo glam rock e maquiagem estilo Alice Cooper – tudo projetado para celebrar a liberdade pessoal, foram polarizando. As reações vieram de todas as direções – hackers, blogueiros e até mesmo de um colega e seus punhais de corte profundo. “Lentamente minha auto-estima começou a se deteriorar.” O que começou como uma preocupação com sua imagem corporal, eventualmente, se transformou em um transtorno alimentar. No início de 2014, quando a situação chegou ao auge, Kesha decidiu dar uma pausa e recalibrar-se passando um período numa clínica de reabilitação. Desde então, ela voltou aos palcos se sentindo mais feliz e mais ela mesma. Agora, um ano depois, ela senta para falar sobre a sua evolução pessoal e física, sobre o lugar da gratidão e brilho na sua nova vida e o poder de auto-aceitação.

Você passou por uma metamorfose em relação a beleza no ano passado. Você pode me dizer o que estimulou a mudança?

Eu tive um monte de altos e baixos. Tem sido uma jornada e tanto. [Com as críticas] fui a um lugar escuro. Passando grandes períodos sem comer, e eu comecei a pensar que estar com fome a ponto de quase desmaiar era algo positivo. Quanto pior ficava, mais comentários positivos. Por dentro eu estava realmente infeliz, mas por fora as pessoas estavam tipo, “Uau, você está ótima.”

Como você saiu desse ciclo?

Eu estava cantando  músicas como “We R Who We R”, e eu realmente acreditava nelas. Eu queria ser genuína. Mas eu estava triste e não estava comendo. Isso não é bom para o seu corpo, metabolismo, ou cérebro. Falei com o meu terapeuta, e ela disse: “Eu acho que é hora de ter um momento para resolver isso.” Eu liguei para minha mãe uma noite e eu disse a ela: “Eu preciso de ajuda.” Eu fui a um site específico sobre reabilitação de distúrbios alimentares, onde uma nutricionista me ensinou que o alimento é uma coisa positiva para o seu corpo. Percebi que ser saudável é a coisa mais importante que posso fazer por mim mesma. Agora, eu estou tentando abraçar a pele na qual estou dentro. É difícil às vezes. Todos os dias eu tenho que olhar no espelho e escolher ser gentil comigo mesma. Esta é quem eu sou, eu tenho que amar isso.

Como você se sente agora?

Parte de ser saudável é ser positivo. Eu não dou atenção para Internet ou blogueiros. Eu me cerquei de pessoas positivas. Eu corro algumas milhas na praia todos os dias, e eu entrei em meditação transcendental para tentar encontrar alguma paz em minha vida louca. Isso me lembra de ser grata por onde eu estou, pelo meu corpo e minha cara – mesmo tão imperfeita quanto possa ser.

Dá para notar – você parece bem e sua pele está brilhante.

Bem, eu sou uma colecionadora de beleza. Eu tenho todos os tipos de soros de rosto e loções. E eu tenho essa esteticista, Francesca Paige, que faz mágica. Antes de eventos importantes, eu recebo este louco tratamento oxigenante – faz sua pele brilhar. E eu recebo essas máscaras de folha de colágeno dela, que eu mergulho em água engarrafada em seguida, coloco no meu rosto. Ela é um salva-vidas.

E a sua maquiagem? Esta bastante natural esses dias.

Agora eu uso rímel e batom, e [para o brilho] eu uso um pó da NARS em minhas bochechas. Em minha pele, eu comecei a usar um spray da Dior quando eu estava em turnê –  é tão fácil, como tinta spray para o seu rosto, mas da brilho.

É esse o look que você usa no palco – maquiagem sem maquiagem? 

[Maquiagem para os palcos] tem que ser mais produzida do que seria para andar na rua, muita lantejoula, muito drama. É minha estética, porém mais ao extremo. Eu tiro muita inspiração do final dos anos setenta, quando os homens estavam usando maquiagem com calças apertadas e ternos, estilo [David Bowie como] Ziggy Stardust. Houve um tempo que meu maquiador, Vittorio Masecchia, costumava colar enormes pedras no meu rosto.

Olhando para trás, você tem algum arrependimento sobre beleza?

Você quer dizer o dente de ouro que eu removi? [Risos] Não, eu olho para trás com amor, porque eu estava me divertindo muito [com cabelo e maquiagem]. Uma vez que fui num tapete vermelho com um moicano, mas eu provavelmente nunca vou fazer isso de novo. E antes de subir no palco eu costumava derramar cerveja no meu corpo [como uma cola] e, em seguida, rolar em uma banheira cheia de glitter. Eu não faço mais isso, porque ele irritou minha pele.

Ainda existe um lugar para glitter em sua vida?

Eu não acabei com ele para sempre, ainda há toques de glitter.

Sim, sempre tem [glitter] nas manicures que você posta no Instagram.

Eu sou obcecada por arte de unha. Agora eu estou com minhas unhas estilo francesinha ombré. Tudo começou quando eu fui para o Japão – tem este lugar chamado esNail, que ia criar flores 3-D nos meus dedos, colocar pedras loucas sobre eles e construir pequenas cidades – Eu deixei ir até o ponto aonde eu não podia nem mesmo usar as minhas mãos porque estavam muito sofisticadas. Eu me acalmei um pouco em relação a isso, mas eu ainda gosto de me divertir. Eu decidi que tudo na minha vida deve ser divertido, caso contrário, qual o ponto?

Fonte: Vogue


Post publicado por Pedro I.
13.02

Kesha posandopara as lentes na New York Fashion Week

A cantora, que já esteve em vários desfiles de moda durante essa semana no New York Fashion Week, concedeu uma entrevista ao E! Online e disse que está planejando começar sua carreira de atriz.

Na entrevista, Kesha disse estar tentando entrar neste mundo da teledramaturgia, com aulas de teatro, mas disse também que não é nada fácil atuar: “Realmente pode ser embaraçoso”.

“Comédia seria ótimo!”, disse ela sobre o tipo de papéis em que está atrás. “Mas eu também gosto do desafio de fazer algo dramático, porque é o oposto da minha personalidade.” Confira a entrevista logo abaixo:

Sobre música, Kesha disse que ainda está compondo as para seu próximo álbum, mas ainda não tem uma data ou período para ser lançado. O site Pop Dust relembrou sobre o processo que Kesha entrou contra o produtor Dr. Luke e como isso pode afetar em sua carreira musical e, de acordo com eles, atuar na televisão, teatro ou cinema, seria uma grande oportunidade da Kesha promover seu nome enquanto não entrar em um acordo com sua gravadora e seu produtor.


Post publicado por César
22.01

10941006_1034527266562884_8636902250311652693_n

O site G1 realizou uma matéria especial com Kesha, por conta de sua vinda ao Brasil para realizar uma série de shows. Na entrevista, Kesha revela que está buscando inspiração no Brasil para o seu próximo álbum, além de revelar o formato que os shows no Brasil vão seguir. Confira algumas partes da matéria a seguir:

Kesha busca inspiração no Brasil para retomar carreira após ‘ano difícil’

Cantora diz que viagem para shows no país ajudará a inspirar novo álbum.

Em 2014 ela foi a rehab por suposto abuso: ‘Montanha-russa emocional’.

Foi definitivamente um dos anos mais difíceis da minha vida. Passei por tanta coisa…”. Kesha se queixa, mas evita enumerar os problemas de 2014 ao G1. No entanto, não é difícil apontar as tais dificuldades. Ela se destacou menos pela música do que por começar o ano internada em uma clínica de reabilitação por distúrbio alimentar e terminar em uma briga judicial, ao acusar o produtor Dr. Luke de assédio sexual. A retomada em 2015, dessa vez focada nos palcos e estúdios, começa no Brasil.

Kesha – que em 2014 também resolveu abandonar o $ do nome artístico – canta no Festival de Verão de Salvador (22), em São Paulo (25), em Florianópolis (30) e no Planeta Atlântida (31). Os shows vão ter o formato da “Warrior Tour”, ela diz. No ano passado, a turnê do disco lançado em 2012 foi interrompida e ela quase não subiu no palco.

A assessoria da cantora vetou perguntas pessoais nas entrevistas sobre shows no Brasil. Mas no caso da compositora que transforma experiências comuns em hits – “TiK Tok” apareceu quando ela chegou em casa bêbada da balada -, é difícil não falar de músicas que podem surgir da penúria de 2014. Sim, a “montanha-russa emocional”, como ela diz, pode inspirar novas músicas. Mas ela também quer outras influências para seu terceiro álbum – como o Brasil.

Gosto do Brasil, é inspirador. Ao mesmo tempo em que é diferente da Califórnia [onde ela nasceu], também me faz me sentir em casa. Da última vez [quando veio para o Rock in Rio, em 2011] as pessoas foram tão legais comigo”, diz. “Quero passear de barco, encontrar as praias, passar um tempo conhecendo a comida e as pessoas. Conhecer outra cultura para me inspirar”, planeja.

O trabalho no sucessor de “Warrior” (2012) será feito em 2015, mas não há data de lançamento confirmada. “Estou trabalhando em novas músicas sim, mas não sei quando sai”, diz. Alguma das músicas novas já prontas pode aparecer ao vivo no Brasil, ela diz. O som, como nos outros álbuns, não terá compromisso com coerência de estilos. “De rock and roll sujo a country music”, ela diz sobre o que ouve atualmente.

Confira a matéria completa clicando AQUI.


Post publicado por César
10.01

kesha show - Cópia

O caderno Folha Ilustrada do jornal Folha de S. Paulo fez uma matéria especial sobre a situação atual da carreira de Kesha e sua vinda ao Brasil. Na entrevista, Kesha fala sobre o seu entusiasmo em estar vindo novamente ao Brasil, da renovação de sua imagem artística, com a retirada do símbolo do dólar (cifrão $) de seu nome, que antes era Ke$ha, além de algumas informações e novidades sobre o processo de gravação e produção de seu próximo e terceiro álbum de estúdio e inéditas. Para essa entrevista concedida para a Folha, a equipe da estrela pop avisou que ela não abordará assuntos sobre sua vida pessoal, que pode ser entendido como não falar sobre a batalha judicial contra o produtor musical Dr. Luke.

Sobre o próximo disco, Kesha diz:

Trabalhei todo o tempo nos últimos seis meses. Tenho 20 canções e é tão difícil de escolher. Não sei o que as pessoas devem esperar, porque escrevi canções pop, dance, country, rock ‘n’ roll…

Kesha afirma também que ainda não há uma data definida para o lançamento do novo material:

Eu sei que as pessoas querem as músicas, mas a coisa mais importante é fazer um disco do qual eu me orgulhe, então sei que ainda estou no começo. Estou tomando o meu tempo, para estar certa, para fazer do disco uma coisa que eu ame 100%.

Confira a matéria completa da folha clicando AQUI.


Post publicado por César
02.01

MODELO COPIA - Cópia

Kesha retirou o símbolo de dólar do seu nome (cifrão “$”), com o objetivo de ter uma nova postura mais madura e séria.

A estrela pop decidiu alterar a estilização de seu nome, “Ke$ha”, neste início de ano, porque ela quer ser percebida como uma artista séria e de respeito (digna de Grammy), em vez de uma cantora rotulada, com o termo em inglês conhecido como, “One-trick pony“, que, nesse contexto, significa algo como, “artista de um talento apenas”, ou um artista de talento limitado, artista fabricado, ou sem talento. No caso de Kesha, o objetivo dela, é se tornar uma artista completa e livre, e não uma artista que só lança músicas infantis, genéricas e recicladas, apenas para festas e boates. Não quer dizer que ela não fará mais músicas divertidas e dançantes. Ela continuará produzindo álbuns pop, que possuem um estilo variado e eclético, porém, o objetivo dela é crescer como artista, e não estar obrigada (por um produtor executivo), a lançar como música de trabalho, apenas as músicas superficiais, mas sim, também se renovar, se tornar uma mulher mais madura, com estilo condizente com a sua idade e, poder produzir suas próprias músicas, ou trabalhar com outros produtores, além de se arriscar (sair da “zona de conforto”), experimentar novas sonoridades e novos estilos alternativos.

A drag queen, Lady Lloyd, que possui amizade próxima com Kesha, contou exclusivamente ao BANG Showbiz que:

Eu acredito que ela revisitará suas antigas raízes, quando saímos, porque nós temos um grande momento, mas acredito que agora ela está tentando mudar sua imagem, porque ela não consegue lançar as suas melhores músicas. Em seus álbuns, há músicas lentas que são lindas, mas ela não lançou ainda! Os gestores (produtor executivo, ou em outras palavras, “Dr. Luke”) barram ela e não deixa ela lançar, mas isso (esse tipo de estratégia constantemente aplicada) prejudica (a sua imagem como artista e) um pouco suas vendas, porque as pessoas (público em geral, exceto os fãs) acham que ela é uma artista de um talento apenas (ou artista que lança músicas que não mostram seu talento). É por isso que ela deixou o cifrão, de seu nome, de lado, porque ela quer trabalhar no amadurecimento de sua imagem como artista. É uma questão de (desafiar e) provar para si mesma, e ela quer que as pessoas vejam que ela pode ser mais profunda (e adulta).

Lady Lloyd ficou aliviada que Kesha fez o melhor para si ao passar uma temporada na reabilitação, para tratar um transtorno alimentar, durante o começo de 2014, e ela diz que a intérprete de Timber está totalmente focada em realizar o seu retorno ao mundo da música, agora que sua saúde está ok.

Lloyd disse:

Eu falo muito com ela, e ela não estava muito bem recentemente, mas agora ela está melhor. Ela está de volta à pista, ela está escrevendo músicas novas, ela é tão talentosa, mas as pessoas só consideram as porcarias. O mesmo acontece com Miley Cyrus. As pessoas não levam elas a sério, por conta das coisas que elas apoiam, mas no final das contas, elas escrevem essas músicas.

Para quem não se lembra, Lady Lloyd fez uma participação na faixa demo (que não foi aproveitada), “Pretty Lady“:

Fonte: list.co.uk
Adaptação: Kesha Brasil


Post publicado por César
02.01

Kesha china

Kesha é uma das principais atrações do Festival Planeta Atlântida, no Rio Grande do Sul, e seu show acontece no dia 31/01.

Polêmica e divertida, a estrela pop americana Kesha, 27 anos, é uma das atrações confirmadas do Planeta Atlântida 2015. A cantora, que alcançou o topo das paradas com os sucessos TiK ToK, We R Who We R, Die Young e Timber, conversou por telefone com Zero Hora e contou sobre seu amor pelo Brasil, as mudanças em sua carreira e o que os fãs podem esperar do show que ela apresentará no festival no final de janeiro. O show de Kesha no Festival Planeta Atlântida acontecerá no dia 31/01, porque no dia 30 de janeiro, ela se apresenta em Florianópolis, Santa Catarina.

ZH: “Do que você se lembra da última visita ao Brasil?

Kesha: “Toquei no Rock in Rio (em 2011) para 100 mil pessoas, antes de Stevie Wonder, foi épico. Adorei o Brasil. É um lugar alegre, tem uma cultura tão bela, todos dançam sorrindo… A comida é fantástica, a cultura, a moda também, e o Carnaval é tão inspirador… A música é muito boa, o samba é fantástico. Não sou capaz de dizer o quanto adoro a cultura brasileira, não me surpreenderia se um dia eu acabasse morando no Brasil.

ZH: “Da última vez que veio ao Brasil, seu nome ainda era Ke$ha com um cifrão. Por que você mudou?

Kesha: “Mudei isso porque meio que cresci além dessa “persona” e me tornei o que sou hoje: tão divertida e doida quanto antes, mas mudei, sabe? Minha confiança mudou. Fiz reabilitação para o meu transtorno alimentar e levei o tempo que precisava para aprender a amar a mim mesma e a tratar bem o meu corpo. É importante que as mulheres conheçam essa parte da minha história, porque muitas têm problemas com a sua imagem. É uma mensagem importante: ame a si mesma e ao seu corpo, exatamente o que você é.

ZH: “Como vai ser o show no Planeta Atlântida?

Kesha: “Vou levar minha banda, meus dançarinos e alguns amigos. Planejo fazer uma grande festa dançante e gostaria que todos se divertissem como nunca. Esse é o meu objetivo. Minha meta é que todos saiam dizendo que foi a melhor noite das vidas deles. Geralmente, decido o que vou cantar no dia anterior, mas talvez cante Timber. Nunca fiz isso em uma turnê antes, então seria muito especial.

ZH: “Quando você compõe músicas, busca contar histórias ou simplesmente se divertir?

Kesha: “Componho todas as minhas canções, então gosto de contar histórias sobre as coisas malucas que vivo, já que a minha vida é tão esquisita. Mas penso que a coisa mais importante a respeito disso é que estou expressando como sou de verdade nesse momento da minha vida. Acho que vou chocar com o quão honesta serei no novo disco.

ZH: “Então está planejando lançar um novo álbum com músicas inéditas em breve?

Kesha: “Não tenho uma data de lançamento ou coisa parecida, porque estou levando o tempo que preciso para fazer um disco do qual me orgulhe. Estou trabalhando com todos os tipos de gente doida e espontânea e realmente experimentando com música. Não tenho certeza de como vai ser o disco. É um processo experimental e disperso. Então, não posso dizer como vai ser, ainda não sei.

ZH: “Você tem uma mensagem para seus fãs no Brasil?

Kesha: “Espero que vocês estejam prontos para ter a melhor noite de suas vidas. Muito obrigado por todo o apoio que me deram!

Programe-se

– Planeta Atlântida 2015, Show de Kesha no dia 31 de janeiro, na Saba (Avenida Interbalneários, 413), na Praia de Atlântida (RS)
– Classificação etária: 14 anos. Indispensável a apresentação, na entrada do evento, de documento de identificação com foto atual. Proibida a entrada de menores de 14 anos, mesmo que acompanhados dos pais ou responsáveis
– Ingressos – 1º lote: R$ 130 (individual arena, para um dia), R$ 210 (passaporte arena, para os dois dias), R$ 310 (individual camarote, para um dia) e R$ 500 (passaporte camarote, para os dois dias)
– Sócios do Clube do Assinante (limite de dois ingressos por carteirinha, somente nos pontos físicos de venda): R$ 110 (individual arena, para um dia), R$ 180 (passaporte arena, para os dois dias), R$ 280 (individual camarote, para um dia) e R$ 450 (passaporte camarote, para os dois dias)
– Venda online: planetaatlantida.com.br (sem cobrança de taxa)
– de venda físicos (também sem cobrança de taxa):
Em Porto Alegre: Renner Shopping Iguatemi (Rua João Wallig, 1.800, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 13h às 21h), Renner Otávio Rocha (Av. Otávio Rocha, 184, de segunda a sexta, das 8h30 às 20h, e aos sábados, das 8h30 às 19h), Renner BarraShoppingSul (Av. Diário de Notícias, 300, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 13h às 21h).
Em Novo Hamburgo: Renner Novo Shopping (Av. Nações Unidas, 2.001, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 13h às 21h).
Em Caxias do Sul: Renner Iguatemi Caxias do Sul (Rodovia RSC-453, km 3,5, número 2.780, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h)
– Formas de pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito (até três vezes sem juros) Visa, MasterCard, Diners, Amex, Maestro e Visa Electron

Fonte: Zero Hora
Adaptação: Kesha Brasil


Post publicado por Samuel D
06.06

Sano great time save girl mixed boy twins much more than light colored Sox

Ontario(AP) New york(AP) Tommy Milone arranged competeing seven in seven innings and thus Miguel Sano hit an additional creature homer to conserve the mn twin babies the fatigue chi town whitened Sox 3 0 on saturday dusk.

Milone(7 4) Lost the fight three sinks in in addition, done seven innings at last for the reason that July 8. Trevor Plouffe newly even more two affects someone and moreover two RBIs gotten Kevin Jepsen his or her support 10th for baby twins babies, World health organization in process the the first day golf contest for arizona to be able to second ing old memory phone visa piece of plastic.

A person’s thoughts chapters of our net specify are intended for careful, Naturally smart verbal exchanges and as a consequence argument. You should listen to the potential customers but unfortunately we’re not required to publish opinions we’re feeling improper maybe infringe regarding criteria. Locations of the factors a good idea to heed in the event posting feedback:

Statements can not be profane or alternatively vulgar. Infants to parents excursion my web site. We are going to erase suggestions which use profanity maybe corner you see, our own collections of proper taste buds.

You will remove the only thing review articles while by never like speech and toast. Slurs, Stereotypes while chaotic chatter tend to be not delightful located in relation to connected with web pages.

Information cannot invasion alternate subscribers in my opinion.

In this article eliminate observations we consider bothersome, In the horrific experience, Or perhaps even about off range. We are really not obliged to write feed-back that are classified as irritating or just insensitive.

Assume manage driver published responses.

As a bunch WEAU 13 studies embraces huge selection range with suggestions. Notwithstanding, We an obligation to the whole many people in order to keep our thought point just along with appropriate. Because of this WEAU 13 media stores the legal right to not contribution or to eliminate a lot of comment or short.


Page 2 of 212


Twitter



Facebook



Entre no Estilo