Julgamento | Kesha Brasil

Post publicado por Pedro I.
10.03

De acordo com os documentos obtidos pelo site Pitchfork,  Michael Eisele, organizador dos protestos #FreeKesha e quem atualiza a conta @KeshaTODAY no Twitter, pode ser intimado pela equipe de Dr. Luke, que acusam o fã de coordenar os protestos, difundir “declarações difamatórias” e manchar a imagem do produtor. Caso a intimação seja ordenada pelo juiz, Eisele vai ter que testemunhar sob interrogatório pelos advogados do Dr. Luke.

Michael Eisele também foi quem criou a petição on-line #FreeKesha, que conseguiu acumular mais 230.000 assinaturas.

Até o momento, a próxima audição do caso está agendada para 14 de abril, que será feita por telefone.

FONTE: Pitchfork


Post publicado por Samuel D
31.01

Na última segunda-feira, Kesha e Dr. Luke aperfeiçoaram seus pedidos reconvencionais. Os documentos foram disponibilizados online, porém devido ao número excessivo de páginas, 84 para sermos exatos, uma tradução completa fica inviável. Porém resumimos algumas informações até então desconhecidas: 

  • Dr. Luke insiste que os contratos permanecem inalterados e em plena força, e que ele, como CEO da gravadora Kemosabe Records, mantém poder de veto sobre cada decisão importante sobre o terceiro álbum de Kesha, incluindo aprovação de músicas, aprovação de plano promocional, e se e quando o álbum será lançado. Dr. Luke declarou que só permitia a Sony participar do projeto como uma “comodidade”, deixando claro que a Sony não tem o direito de fazer qualquer coisa sem sua aprovação.
  • A situação atual é insustentável e só vai piorar. Dr. Luke está preparado para adquirir ainda maior controle sobre Kesha e sua carreira em março de 2017, quando o contrato da Sony com o Dr. Luke e suas empresas devem chegar ao fim. O final deste contrato significa que a Sony não terá qualquer papel na criação da música de Kesha, deixando o sustento de Kesha completamente nas mãos de Luke. 
  • Entre dezembro de 2005 e meados de 2009, o Dr. Luke exigiu que a Kesha assinasse uma série de contratos de exclusividade quanto sua música, envolvendo empresas que o Dr. Luke possui ou opera,
    incluindo um contrato de produção e fornecimento, um contrato de publicação e um contrato de gravação (somando assim, três contratos).
  • Apesar de ter direito sob os royalties da canção “Timber”, Dr. Luke nunca pagou-os a Kesha. A cantora recebeu alguns royalties que estavam em débito ano passado, depois de ameaçar levar o problema para o tribunal. 
  • Kesha declinou uma oferta milionária para participar como jurada do The Voice australiano. Kesha também recusou múltiplas oportunidades de aparecer na Broadway. Kesha recusou estas oportunidades para que ela fosse capaz de concentrar seu tempo e esforço em gravar seu novo álbum.
  • A próxima audiência em tribunal de Kesha e Dr. Luke foi marcada para 14 de fevereiro.

Confira a contra-reivindicação completa (em inglês) de Kesha:

ATUALIZAÇÃO:

Dr. Luke, por sua vez, está procurando adicionar outro processo de difamação contra Kesha. Tudo por causa de mensagens de texto enviadas à Lady Gaga pela cantora em fevereiro de 2016, onde supostamente Kesha havia dito que além dela mesma, ‘uma outra artista’ havia sido estuprada pelo produtor.

“Desde essa conversa via mensagens de texto, Lady Gaga espalhou mensagens negativas sobre Gottwald na imprensa. Na verdade, Lady Gaga chegou a sugerir durante uma entrevista de rádio que ela possui informações secretas sobre Gottwald que são prejudiciais para ele. As declarações de Lady Gaga durante esta entrevista na rádio foram repetidas e difundidas por muitos meios de comunicação internacionais […] Kesha não tinha nenhuma motivação econômica para fazer essas falsas afirmações a Lady Gaga. Em vez disso, Kesha fez essas declarações como uma vingança por perder seu pedido de liminar e com o propósito de promover seu plano malicioso para destruir os demandantes. Como Lady Gaga observou nesta conversa de mensagem de texto, ‘NÃO será fácil para ela (ou seja, o outro artista de gravação) ou qualquer artista trabalhar com ele (isto é, Gottwald) depois disso.'” – Dizem os documentos legais por parte do produtor. 

A ‘outra artista’ não teve seu nome divulgado, porém, há algumas semanas, foi divulgada uma notícia de que Dr. Luke teria ganhado uma permissão do juri para mostrar a mensagem de texto também para Katy Perry. 


Post publicado por Samuel D
10.10

Na última atualização do caso, Kesha e Dr. Luke brigavam na justiça pelos documentos médicos da cantora. O time do produtor estava pressionando o tribunal para a liberação dos mesmos, porém toda informação trocada entre paciente e terapeuta é protegida por lei e não pode, em hipótese alguma, tomar proporções públicas. Os Advogados de Luke, no entanto, rebateram dizendo que Kesha já tornou o caso público por opção própria, sendo assim Kesha teve que entregar seus registros médicos a equipe do produtor.

Os papéis somam  913 folhas e contém informações dos laudos médicos e psicológicos emitidos em todos os quatro estados pelos quais Kesha se tratou ao longo da última década (Nova York, Califórnia, Illinois e Tennessee), e os advogados de Luke estão se recusando em mantê-los confidenciais. Agora, Kesha está pedindo a juíza do Supremo Tribunal de Nova Iorque para emitir uma ordem de proteção para evitar que os registros sejam divulgados ao público. Os advogados de Kesha dizem que a única intenção do produtor em divulgar os registros de Kesha é constrangi-la publicamente. Luke contratou 25 advogados para revisar documentos irrelevantes.

Uma nova audiência está marcada para 26 de outubro, onde o pedido de proteção deve ser discutido.

ATUALIZAÇÃO:

Apesar de uma audiência estar marcada para dia 26, a juíza Shirley Korneich fez sua decisão na última quinta-feira: Dr. Luke está proibido de divulgar quaisquer informações contidas nos documentos médicos de Kesha. Confira a nota da autoridade:

“Dada a extrema atenção da mídia a este caso, que resultou em ameaças ao tribunal e manifestações, o tribunal considera o pedido de proteção justificável.”

Fonte: BuzzFeed


Post publicado por Samuel D
15.08

Após retirar acusações contra Dr. Luke no estado da California, com intuito de facilitar sua volta ao mundo da musica, Kesha não usará mais a alegação de abuso sexual como argumento de defesa para o caso de New York. Confira o update do The Hollywood Reporter:

Batalha legal de Kesha continua. Ela já deu um passo atrás em sua ação judicial contra Dr. Luke na Califórnia. Agora, enfrentando reivindicações do produtor de ter violado seu contrato e ter perdido a maioria de seus contra-argumentos (atualmente o assuntoaser discutido), Kesha confirmou a um juiz de Nova York na sexta-feira que ela não vai estar contando com  a alegação de abuso como uma defesa no caso contra Luke, que diz respeito a violação do contrato.

Apesar da perda do argumento, é esperado que a batalha judicial continue para a decisão das questões contratuais entre Kesha e o produtor.


Post publicado por Pedro I.
13.07

É isso mesmo! O contrato feito entre a Kesha e a Sony/RCA/Kemosabe pode ser desconsiderado em 2018, caso ela não ganhe nas ações judiciais movidas contra Dr. Luke e as gravadoras Kemosabe, RCA e Sony.

Hoje (13.07), Austin (fã conhecido por ter contato direto com a cantora) publicou no Twitter :

Kesha estará 100% livre em 2018, mesmo ela perdendo na ação judicial [Kesha X Dr. Luke] por conta da “regra de 7 anos”.

Essa “regra de 7 anos” que Austin está se referindo é a De Havilland Law, lei válida apenas no estado da Califórnia, EUA. A De Havilland Law define que um contrato exclusivo de serviços pessoais (no caso da Kesha, o de gravar músicas), independentemente das cláusulas do contrato, tem sua invalidez 7 anos a contar desde o início do serviço. A lei é muito utilizada na indústria da música, como nos casos de Courtney Love e Smashing Pumpkins, que citaram a regra ao contestar contratos que exigem a entrega de vários álbuns (embora as gravadoras haviam pressionado para que houvesse uma exceção, fato que lhes permite recuperar o prejuízo pelos álbuns não entregues em contratos anulados pela regra).

No caso da Kesha, o contrato de exclusividade com a Kemosabe, em conjunto com a RCA e a Sony, foi assinado em 2006, mas renovado em 2011, contanto os 7 anos a partir da última renovação de contrato, terminando então em algum momento de 2018.

Como o contrato da Kesha tem, além de serviço de exclusividade, a entrega de, no minimo, 8 álbuns (tendo apenas 2 entregues, aceitos e lançados), ela teria que, no caso de usar a De Havilland Law, pagar para as gravadoras uma quantia pelo fato dela não ter entregado a meta minima de álbuns.

FONTE: Reuters


Post publicado por Samuel D
20.06

Hoje (20), os advogados de Kesha e Dr. Luke bateram de frente um com o outro no tribunal de Manhattan, visto que o time representante de Dr. Luke continua solicitado que os registros médicos e psiquiátricos de Kesha sejam divulgados e entrem como fator decisivo no processo judicial que o produtor iniciou contra ela, acusando-a de difamação. Porém toda informação trocada entre paciente e terapeuta é protegida por lei e não pode, em hipótese alguma, tomar proporções públicas, fato que os advogados de Luke parecem estar pouco se importando.

Kesha passou por tratamento médico e psicológico em quatro estados ao longo da última década (Nova York, Califórnia, Illinois e Tennessee), e os advogados de Dr. Luke apelam para a juíza ter acesso a todos, embora exista a tal lei de sigilo, favorável a privacidade da cantora. Os Advogados de Luke, no entanto, rebatem dizendo que Kesha já tornou o caso público por opção própria.

Por sua vez, o novo advogado representante de Kesha encerrou com: “Embora Mr. Gottwald [Dr. Luke] diga que as declarações da Sra. Sebert [Kesha] sejam falsas, a sua veracidade ainda está para ser apresentada ao jurí – e julgada.”

Fonte: New York Daily News 


Post publicado por Samuel D
16.05

Enquanto a batalha legal entre Kesha e Dr. Luke (Lukasz Gottwald) continua em Nova York, outro processo aberto na California foi colocado em espera – mas os advogados de Kesha querem mudar isso. – Esse processo em pausa foi feito por Kesha no começo da batalha judicial com Luke, porém os processos de Nova York ganharam prioridade, por ser esse o estado estabelecido em contrato como padrão para disputas legais entre o produtor e a cantora.

Em conferência de status ocorrida nessa segunda-feira (11), a juiza e os advogados de Luke foram surpreendidos ao ouvir os planos da equipe judicial de Kesha, que querem dar continuidade as reivindicações da cantora preenchidas na Suprema Corte de Los Angeles.

A Juíza, entretanto, disse que ela pretendia negar o apelo, uma vez que várias reivindicações já foram discutidas em Nova York e uma cláusula no contrato entre Kesha e Luke define Nova York como o local para disputas legais.

O advogada de Lukas Gottwald, Christine Lepera, disse ao tribunal que não estava sabendo do interesse em dar continuidade ao processo da California e também era favorável a dispensar o pedido dos advogados de Kesha.

Os advogados de Kesha não haviam apresentado um relatório de status antes da audiência de hoje, e a juíza disse estar desapontada por nem ela, nem o time de Luke terem sido informados de que isso iria acontecer.

“Se você apresentar os mesmos argumentos a mim, isso não será bem recebido”, disse a juíza.

A próxima conferência de status está prevista para 15 de Julho.

Fonte: THR


Post publicado por Samuel D
03.05

Hoje (3) foi divulgada a informação de que Kesha havia demitido Mark Geragos, advogado que a representava desde o início do caso judicial contra Dr. Luke. Algumas semanas atrás, Kesha contratou Daniel Petrocelli para a defender, também conhecido como um dos 100 melhores advogados de Hollywood.

Kesha adicionou um advogado de peso em seu time. A artista se prepara para apelar contra a negação de uma liminar e convocou Daniel Petrocelli da O’Melveny & Myers para representá-la. Se Kesha está se sentindo confiante foi porque dias atrás Daniel se juntou oficialmente a Mark Geragos (advogado de Kesha desde o início do caso), mais conhecido por derrotar O.J. Simpson em um caso civil de morte por negligência há duas décadas atrás; Petrocelli também é especialista em casos de ‘reviravolta’, tendo representado companhias de nome, como Disney e Warner Bros., na briga judicial dos personagens ‘Winnie the Pooh’ e ‘Superman’, respectivamente, onde conseguiu excelentes retornos. Daniel foi destaque na lista da The Hollywood Reporter dos 100 melhores advogados de Hollywood. – Kesha Brasil: Kesha contrata um dos 100 melhores advogados de Hollywood para enfrentar Dr. Luke no tribunal (04.04)

Captura de Tela 2016-04-30 às 04.22.44


Post publicado por Samuel D
28.04

Além da troca de processos judiciais entre Kesha e Dr. Luke, a mãe da cantora (Pebe) também estava trocando farpas com o produtor no tribunal.

Nas últimas atualizações do processo, foi divulgado que a juíza responsável pelo caso decidiu dispensar todas as alegações de Kesha contra o produtor, menos uma, responsável pelo acerto contratual entre Kesha e a Sony (e, consequentemente, Dr. Luke). Após a nota, os advogados de Kesha e Luke se reuniram numa teleconferência para discutir o processo, e Kesha foi convocada a depôr sobre suas acusações, sob juramento e gravação audiovisual do Supremo Tribunal de Justiça de Nova York.

Enquanto o julgamento se desenrola em Nova York, há ainda um processo de Kesha contra Luke em espera na Califórnia e outra troca de processos entre Pebe e Luke no Tennessee, onde o produtor acusa Pebe de difamação, interferência não autorizada no caso e de esquematizar um plano com Kesha para tentar manchar a imagem dele. Em resposta, a mãe da cantora o processou de volta por tê-la causado perturbação emocional e por ter mentido sobre o quão envolvida ela seria nas composições de Kesha.

O fato é que, na última terça (26), Pebe retirou voluntariamente suas acusações contra Dr. Luke, além de ter rompido recentemente contrato com um dos advogados de Kesha no caso, Mark Geragos. Segundo a advogada de Dr. Luke, as acusações de difamação por parte do produtor continuam em pé. 

“O processo contra Dr. Luke tem sido um pesadelo para a Sra. Sebert e sua família […] Ela decidiu seguir em frente e encontrar a paz e perdão em seu coração em vez de viver em função do passado cancerígeno de um processo judicial em andamento, sem previsão de fim.” – Advogado de Pebe para E! News.

Fontes: Billboard | E! News


Post publicado por Samuel D
19.04

Hoje (19), foi divulgado que em junho Kesha terá que comparecer ao tribunal para explicar, perante juramento, sua versão dos fatos que a levaram a processar o Dr. Luke por assédio sexual e psicológico. Pebe, mãe de Kesha, também estará presente no tribunal visto que também processou o produtor por causar a Kesha sofrimento emocional.

Os testemunhos serão gravados em vídeo no Supremo Tribunal de Justiça de Nova York e usados para o julgamento do caso.

Recentemente, Kesha teve todas as suas alegações dispensadas pela juíza, menos uma, que se trata do contrato formal entre Kesha e a Sony/Dr. Luke. Na última semana foi realizada uma teleconferência entre os advogados da cantora e do produtor para a discussão do processo que segue em andamento, porém nada foi divulgado a respeito.

Até o momento não foi divulgado o dia da sessão, apenas que ocorrerá em junho.


Page 1 of 612345...Last »


Twitter



Facebook



Entre no Estilo