Notícias | Kesha Brasil

Post publicado por Pedro I.
09.08

Durante a manhã de hoje (09.08), Kesha foi participação especial no programa norte-americano “Good Morning America” para promover seu novo álbum, “Rainbow”, que será lançado nesta sexta-feira.

No programa, antes de iniciar suas performances, Kesha teve uma pequena conversa com Robin Roberts, uma das jornalistas do programa, sobre o significado do single “Praying” e como essa música ajudou ela nos momentos em que a Kesha vem passando. Confira a entrevista abaixo:

Em seguida, Kesha performou “Praying” e “Woman”, senda a última em uma versão clean. Veja:


Post publicado por Pedro I.
10.03

De acordo com os documentos obtidos pelo site Pitchfork,  Michael Eisele, organizador dos protestos #FreeKesha e quem atualiza a conta @KeshaTODAY no Twitter, pode ser intimado pela equipe de Dr. Luke, que acusam o fã de coordenar os protestos, difundir “declarações difamatórias” e manchar a imagem do produtor. Caso a intimação seja ordenada pelo juiz, Eisele vai ter que testemunhar sob interrogatório pelos advogados do Dr. Luke.

Michael Eisele também foi quem criou a petição on-line #FreeKesha, que conseguiu acumular mais 230.000 assinaturas.

Até o momento, a próxima audição do caso está agendada para 14 de abril, que será feita por telefone.

FONTE: Pitchfork


Post publicado por Pedro I.
03.02

Hoje (03,02), a Hack Harassment, divulgou uma campanha realizada com a cantora Kesha, contra o bullying on-line. A cantora, que já deixou muito claro sua opinião sobre a pratica do bullying em outras ocasiões, está presente, até então, em dois vídeos divulgados pela Hack Harassment, que ilustram a prevalência e gravidade do assédio on-line, apresentando exemplos da vida real e um apelo para que os telespectadores se unam para tomar alguma medida sobre. Confira:

Estou honrada em participar da campanha da Hack Harassment. Esta questão é próxima e importante para o meu coração. Ninguém, independentemente de sua identidade, origem ou crença, deve ser submetido ao assédio on-line. Estou ansiosa para trabalhar com a Hack Harassment e seus parceiros para ajudar a aumentar a conscientização sobre esta importante causa, a fim de trazer mais inclusão e mais segurança nas comunidades on-line.

“Nós aplaudimos Kesha pela ajuda a aumentar a conscientização desta questão importante e espero que sirva como um lembrete de que o assédio on-line é real e que todos nós temos um papel a desempenhar para sua redução”, disse Cynthia Germanotta, presidente e co-fundadora da Born This Way Foundation.


A campanha estrelada por Kesha vai ser apresentada em 5.000 telas de 654 cinemas dos Estados Unidos durante todo o mês de fevereiro, bem como em vários canais de mídia social gerenciado pela Hack Harassment e seus parceiros.

A Hack Harassment é uma junção de organizações que tem como único objetivo construir uma comunidade online mais inclusiva e solidária, respeitando todas as diferenças. É importante ressaltar que a Born This Way Foundation foi funda pela Cynthia Germanotta e sua filha e cantora, Lady Gaga, que já posicionou seu apoio à Kesha no movimento #FreeKesha.

FONTE: Hack Harassment


Post publicado por Samuel D
01.08

Dia 15 aconteceu uma conferencia do caso Kesha vs. Dr. Luke para discutir o andamento do processo aberto por Kesha na Califórnia contra o produtor. A cantora e o produtor vêm se enfrentando judicialmente em Nova York, e o caso aberto por Kesha em LA estava em espera por todo esse tempo, pois, contratualmente, quaisquer disputas legais entre os dois devem ocorrer em NY.

Na esperança de colocar a sua carreira de volta nos trilhos, Kesha enviou 28 novas músicas para sua gravadora e deixou para trás suas ações legais contra Dr. Luke no estado da Califórnia. A batalha em Nova York, entretanto, continua de pé, porém a juiza rejeitou as alegações de abuso sexual contra Dr. Luke em abril.

“Kesha rejeitou sua ação na Califórnia sem maiores problemas enquanto prossegue com seu apelo e outras reivindicações legais nos tribunais de Nova York” disse Daniel Petrocelli (advogado da cantora) em uma declaração oficial. “Kesha está focada em voltar a trabalhar e já entregou 28 novas músicas para a gravadora. Comunicamos a Sony e a gravadora que ela tem grande vontade de lançar seu próximo álbum e single mais rápido possível.”

Kesha tem gravado as novas faixas com seu próprio dinheiro nos últimos meses, e as enviou para a gravadora de Dr. Luke, Kemosabe, esperando lançar um single e um álbum mais rapidamente possível.

Fonte: RollingStone

[ATUALIZAÇÃO] Via redes sociais, Kesha se pronunciou sobre a notícia e afirmou que o fato dela ter retirado as acusações contra Dr. Luke na Califórnia não significa que ela está desistindo do processo, afinal, a disputa continua em Nova York.

 “Minha luta continua. Preciso lançar minha música. Eu tenho muito a dizer. Esta ação judicial pesa muito em meu espírito que uma dia já foi livre, e eu só posso orar para que um dia sinta a felicidade novamente. Eu continuarei a lutar pelos meus direitos em Nova York. Obrigada por todo o apoio. O apoio dos meus fãs tem sido tão lindo e eu sou muito grata por isso. Eu não tenho certeza de onde eu estaria sem vocês todos.”


Post publicado por Natália H.
06.04

Segundo os tablóides The Hollywood Reporter e TMZ, Kesha foi grandemente desfavorecida em sua batalha judicial contra a Sony.

“Kesha acabou de perder sua batalha legal contra a Sony… uma juíza de Nova York rejeitou a alegação de que ela teria virado uma escrava da Sony, com Dr. Luke sendo seu dono.” – TMZ

Após ter seu pedido de liminar rejeitado, Kesha continuou pressionando o caso para ter uma resposta favorável no tribunal, mas a Sony agiu agressivamente para ter o caso todo rejeitado. O juiz agora ficou do lado da Sony, rejeitando todas as alegações de Kesha, menos uma.

“O juiz não se convenceu com o argumento de que a relação entre a cantora e seu produtor poderia ser comparada a “escravidão”, pois a Sony não estava forçando-a a trabalhar apenas com Dr Luke… eles teriam deixado outros produtores disponíveis. Por rejeitar essa oferta, o juiz apontou que Kesha estava sendo irracional.”

Kesha também argumentou que ela foi vítima de um crime de ódio, denunciando que sua queixa de abuso sexual foi encoberta pela lei, o juiz respondeu com: “Nem todo estupro é um crime motivado pelo gênero”.

O que foi mais prejudicial para Kesha foi a juíza ter rejeitado suas alegações sem a possibilidade da cantora altera-las. Kesha recentemente contratou um novo advogado para sua equipe e entrou com um apelo em relação a decisão negativa de seu pedido de  liminar.

“Infelizmente, para Kesha, não há muitas notícias boas a caminho com a decisão de hoje. Na melhor das hipóteses, a corte de Nova York pode decidir que não tem competência para receber as queixas – pois não ocorreram em Nova York – e solicitar um retorno de ação judicial na Califórnia, em Los Angeles, onde o processo de Kesha contra Dr. Luke está em espera.”

Fontes: THR | TMZ

[ATUALIZAÇÃO 07.04]

Como havia sido divulgado anteriormente, a juíza dispensou todas as alegações de Kesha, menos uma, que está relacionada com o contrato da cantora com Dr. Luke e a gravadora. Segundo o fórum FOTP, seá realizado uma teleconferência para discussão das alegações pendentes dia 13 de abril, na semana que vem. Porém, a data presente no site da people.com é 13 de abril de 2014, como se a data se referisse a um evento passado. A equipe do Kesha Brasil entrou em contato com o site para verificar a autenticidade da data, assim que tivermos uma resposta atualizaremos esse post. 

UPDATE: A equipe do Kesha Brasil conseguiu entrar em contato com a equipe da people.com, e foi realmente constatado o erro na publicação deles. Então haverá uma teleconferência para discussão do caso na próxima semana, 13 de abril! 


Post publicado por Samuel D
10.03

Não é novidade pra ninguém que Kesha e Katy Perry eram muito amigas, principalmente antes da fama das duas. Katy já colaborou com Kesha em uma demo descartada, a canção intitulada “True Love”; Kesha, por sua vez, foi convidada por Katheryn a participar do videoclipe de seu single de estréia como “Katy Perry”, a polêmica “I Kissed a Girl”. Depois de anos, a carreira de Kesha aconteceu e foram raras as vezes que ouvimos falar de Kesha e Katy juntas. O fato é que Pebe, mãe de Kesha, citou a amizade da filha com Katy Perry em uma entrevista a Billboard, aonde também divulgou detalhes sobre como ela [Pebe] e Kesha eram tratadas por Luke.

Confira o trecho:

Pebe diz que Luke constantemente criticava Kesha, dizendo coisas como: “Katy Perry é muito melhor que você. Você não é uma boa compositora”, depois que ela tinha trabalhado por longas horas no estúdio. “Kesha e Katy Perry eram amigas mais próximas antes de ambas ficarem famosas” – acrescentou Pebe.

> VEJA TAMBÉM: Pebe conta detalhes sobre a relação entre ela, Kesha e Dr. Luke em entrevista exclusiva.


Post publicado por Pedro I.
10.03

Hoje (10.03), Pebe concedeu uma entrevista exclusiva para a revista digital norte-americana Billboard, para falar sobre a relação de mais de 10 anos entre sua filha e o produtor musical, acusado de estupro pela Kesha, Dr. Luke. A entrevista durou horas, com Pebe, pelo telefone, em Nashville. Kesha se recusou a dar uma entrevista.

Na matéria, a Billboard lembra que Kesha não lançou nenhum projeto fonográfico (dela mesma) novo, desde Warrior, em 2013, porque se recusava a voltar a trabalhar com Dr. Luke e a Sony Music. Pebe disse: “Kesha tem permissão para trabalhar com outros produtores, mas somente os produtores aprovados pelo Luke. Aí ele começa a aprovar apenas com quem ele já trabalha. Ele tem a palavra final sobre tudo”.

“Foi como se alguém te batesse e te prendesse numa cadeia todos os dias e, em seguida, lhe oferece um pedaço de pão. Luke dizia: ‘você está linda’ e a deixava feliz, porque ela já estava preparada para tudo, menos o abuso”.

Billboard também relembra da repercussão que o caso entre Kesha e Luke ganhou desde o dia que Kesha apareceu no tribunal. Ao dizer sobre Taylor Swift, que doou 250 mil dólares para Kesha no dia 22 de fevereiro, Pebe comentou: “Foi do nada”. “Recebi um e-mail do empresário de Taylor sobre a oferta. Kesha disse: ‘você tem certeza de que não é um spam?’ e logo após ela: ‘eu ficaria honrada se ela quer fazer isso'”. Logo após, Kesha conversou diretamente com Taylor.

“Eu queria que a Kesha tivesse acabado esse relacionamento há muito tempo, desde o estupro”, diz Pebe. “Mas ela queria ter uma chance na indústria da música, então ela não teve escolha senão [a trabalhar com ele]”.

Kesha provou ser um talento. “Ela é uma das melhores co-autores que eu já trabalhei”, diz Justin Tranter, compositor que também trabalhou com Selena Gomez e Justin Bieber. “Seu instinto de melodias e letras é do mais alto nível”.

Sobre o dia do suposto estupro, na festa de aniversário de Nicky Hilton, em 2005, a Billboard tem uma testemunha que confirma que Kesha e o produtor estavam na festa, mas diz não ter visto nada de estranhos entre os dois.

Pebe disse que no dia seguinte ao acontecido, ela tentou ligar várias vezes para a Kesha durante a tarde, já que elas costumavam falar por horas no telefone. Kesha então retornou as ligações. “Mãe, eu não sei onde estou. Eu acho que nós [Kesha e Luke] fizemos sexo. Estou ferida e doente. Eu não sei onde minhas roupas estão. Eu acho que eu preciso ir para o hospital”, disse Kesha quando estava nua e onde achava ser um quarto de hotel do Luke. Em seguida, a bateria do celular da Kesha acabou e Pebe não teve outro contato com a Kesha até ela conseguir ligar de um telefone fixo do hotel.

Pebe também disse que, após um amigo de Kesha ter levado ela até seu quarto, ela acabou não indo ao hospital. “Olhando para o passado, eu não sei por que eu não fui à polícia. Kesha disse para eu não fazer nada: ‘Mãe, eu só quero cantar. Eu não quero ser uma… vítima de estupro. Eu só quero que minhas músicas sejam lançadas”. ” Eu não segui meus instintos”, disse Pebe sobre o fato de não ter ido dar queixa na polícia.

Dois meses depois, Kesha e Pebe foram convidadas por Max Martin e Luke para um restaurante, afim de decidir quem seguiria como empresário da Kesha (Max Martin se recusou a comentar sobre isso). Kesha queria o David Sonenberg, da DAS Communications, que já havia trabalhado com o Black Eyed Peas e The Fugees, e que ela conhecia através de um amigo da indústria. No entanto, de acordo com Pebe, Luke queria Larry Rudolph, que trabalhou com Britney Spears na maior parte de sua carreira. Kesha acabou em lágrimas e Luke frustrado. Kesha e Luke não se falaram novamente por dois anos e, sem o conhecimento do Luke, Kesha assinou com Sonenberg e começou a procurar por uma gravadora.

Após uma negociação falhada com a Warner, pelo fato de Dr. Luke ter descoberto e impedido o contrato, Kesha disse para sua mãe: “Sempre que eu conseguir um contrato, ele vai atacar e basicamente dizer que ele é meu dono”.

Em um vôo para Los Angeles, depois de Kesha assinar com a RCA, Luke forçou a cantora a inalar uma droga ilícita e iniciou jogadas sexuais pra cima da cantora. Kesha teria contado sobre o que estava ocorrendo, ainda dentro do avião, para sua mãe por telefone, “Ela me disse que se sentia muito mal e estava tentando se afastar dele e depois vomitou”.

Pebe também afirma que Dr. Luke interferiu em sua relação pessoal e profissional com a Kesha durante a gravação de seu álbum de estreia, Animal. Ele se recusou deixá-la trabalhar nas músicas. Em 2013, ela enviou e-mails, confirmados pela Billboard, a Dr. Luke e sua equipe, sobre os maus-tratos que Kesha estava sofrendo por parte de Luke, dentro e fora do estúdio, incluindo o suposto estupro. Pebe diz que ele nunca retornou os e-mails.

Um ex-executivo da Jive disse que Luke “tem um ego enorme” e é conhecido por ser “difícil” de trabalhar. Um gestor que conheceu Luke por mais de 20 anos, diz: “Lucas é uma pessoa terrível. Ele é muito talentoso, obviamente, mas ele é diabólico. Ninguém gosta de lidar com o cara. Este caso com a Kesha é um exemplo perfeito”.

O foco que Luke teve na Kesha só se intensificou com seu sucesso, a partir de 2010: “Isto é, quando Luke começou realmente a ficar detestável”, diz ela. “Ele viu ela como uma vaca de dinheiro e começou a manipulá-la o tempo todo. Ela pensou que todos os seus sonhos foram, finalmente, se tornando realidade, mas isso foi apenas uma maldita viagem ao inferno”.

Durante a gravação do Warrior, Kesha disse que foi ridicularizada em relação ao seu peso, por Luke. “Ele me incentivou a não comer, mesmo quando eu estava oito dias sem comida sólida e ter pulado refeições para malhar duas vezes por dia”.

Em uma das canções, de acordo com Pebe, Luke queria que Kesha adicionasse uma letra que incluía a frase “algumas cadelas gordas no bar”. “Ela nunca diria algo assim. Nem em um milhão de anos”, diz um colaborador da Kesha. “De maneira alguma Kesha iria querer degradar um certo tipo de corpo em uma canção”.

Pebe diz que Luke constantemente criticava Kesha, dizendo coisas como: “Katy Perry é muito melhor que você. Você não é uma boa compositora”, depois que ela trabalhou longas horas no estúdio. Kesha e Katy Perry eram amigas mais próximas, antes que ambas ficaram famosas”, diz Pebe.

Pebe lembra que em 2012 Dr. Luke começou a gritar com a Kesha e ela durante três horas no estúdio. Ela fugiu para seu carro e mandou uma mensagem a sua mãe: “.. Mãe, eu não estou brincando, estamos indo para o México! Foda-se o negócio da música”.

A mãe da Kesha afirma que desde quando a Kesha saiu da clinica de reabilitação, estava fazendo terapia e sabia que sua vida não seria saudável se continuasse presa ao contrato com o Dr. Luke. Ela também afirma que Sonenberg, da DAS, é o único, além das duas, que sabe sobre o estupro.”

“Dr. Luke, basicamente, tem o poder sobre Kesha até sua morte. Ela não pode lançar, legalmente, nenhuma música nova, ou ele pode e vai processá-la”, diz Pebe .

“Artistas ficam presos em  ontratos horríveis e muitas vezes não têm o poder de dizer ou fazer qualquer coisa sobre isso, mas a situação da Kesha está em um nível totalmente diferente”, diz compositor Tranter. “Para ser tão valente, para ser tão honesto como ela está sendo, é uma das coisas mais inspiradoras que eu já vi”.

FONTE: Billboard


Post publicado por Natália H.
09.03

Segundo o tabloide The Wrap, a gravadora Sony estaria prestes a cortar relações com Dr. Luke devido a pressão do público sobre o caso da Kesha.

Dr. Luke, dentro da Sony, tem sua própia gravadora, a Kemosabe Records (cuja qual Kesha tem um contrato). Portanto, caso o rumor seja verdadeiro, Kesha ainda não estaria completamente livre. Porém, se Luke fosse demitido da Sony, teria que bancar a sua gravadora sozinho. Veja:

“Não há contestamento. Kesha não tem caso sobre o seu contrato, mas eles não podem financiar as Adeles do mundo, dizendo que a gravadora ‘não dá apoio'”, disse uma pessoa familiar com o pensamento da alta administração ao The Wrap. “O fato de que isso já não foi resolvido com Luke ainda é confuso, especialmente para as pessoas no prédio”.

Reforçando que é apenas um rumor, e ainda não está nada confirmado.

Fonte: The Wrap

ATUALIZAÇÃO:

Um representante de Dr. Luke desmentiu a notícia. “Isso não é verdade. Luke tem um excelente relacionamento com a Sony. Seus representantes estão em um contrato regular com executivos de alto nível na Sony e isso nunca foi mencionado.”

Apesar da declaração, a Sony ainda não se pronunciou.


Post publicado por Natália H.
07.03

A cantora Lady Gaga é uma das maiores apoiadoras de Kesha no caso judicial que vem enfrentando. Hoje, Gaga deu uma entrevista a uma rádio americana onde falou mais sobre a relação das duas.

“Eu só quero ficar ao lado dela, pois não consigo ver outra mulher sofrendo. Eu sinto que ela está sendo humilhada publicamente por algo que acontece na indústria da música o tempo todo. Tenho conversado com ela todos os dias.”

Muito amor, não?


Post publicado por Samuel D
25.02

“A Sony está fazendo tudo que pode para apoiar a artista nestas circunstâncias, mas é legalmente incapaz de quebrar um contrato do qual não faz parte.” – Essas foram as palavras do advogado da Sony, Scott Edelman. Segundo ele, a Sony não pode rescindir o contrato de Kesha porque ele pertence a empresa do Dr. Luke, Kasz Money, que tem um acordo separado com a RCA/Jive, a qual é uma filiada da Sony.

Além disso, Edelman ainda acrescenta que nenhuma acusação criminal foi feita contra Dr. Luke, e vários advogados do mundo do entretenimento argumentam que a Sony não pode quebrar o contrato por conta de ‘alegações’.

O fato é que, há uma semana atrás, um advogado representante da Sony disse no tribunal que a gravadora está interessada no sucesso de Dr. Luke, e não no da Kesha. Parece que o jogo está virando, não é mesmo?


Page 1 of 612345...Last »


Twitter



Facebook



Entre no Estilo