Praying | Kesha Brasil

Post publicado por Samuel D
14.08

Mesmo após 5 semanas desde seu lançamento, “Praying” alcançou sua melhor posição até agora essa semana na Hot 100. Impulsionada pelo lançamento do “Rainbow”, a faixa recentemente voltou ao top 10 do iTunes, garantindo a posição #24 na principal parada norte-americana de singles. Confira: 


Post publicado por Pedro I.
11.08

Na madrugada de hoje (10 para 11.08), foi transmitido pelo canal norte-americano NBC o programa The Tonight Show With Jimmy Fallon, que contou com a participação da cantora Kesha.

Durante o programa, Kesha participou, junto com o apresentador e os convidados Antony Anderson e Terry Gross do quadro “Password”, que funciona da mesma forma que o programa “Mega Senha” da Rede TV. Confira:

Ao final do programa, como já anunciado, Kesha performou o seu single e carro-chefe do álbum “Rainbow”, “Praying”. Veja a performance logo abaixo:

Também disponibilizamos o áudio da performance na plataforma do SoundCloud. Escute:


Post publicado por Pedro I.
09.08

Durante a manhã de hoje (09.08), Kesha foi participação especial no programa norte-americano “Good Morning America” para promover seu novo álbum, “Rainbow”, que será lançado nesta sexta-feira.

No programa, antes de iniciar suas performances, Kesha teve uma pequena conversa com Robin Roberts, uma das jornalistas do programa, sobre o significado do single “Praying” e como essa música ajudou ela nos momentos em que a Kesha vem passando. Confira a entrevista abaixo:

Em seguida, Kesha performou “Praying” e “Woman”, senda a última em uma versão clean. Veja:


Post publicado por Samuel D
02.08

Ontem, Kesha realizou a primeira performance de “Praying” em seu evento promocional para o álbum “Rainbow”. A transmissão foi ao ar hoje no canal oficial da cantora. Confira a performance:


Post publicado por Samuel D
17.07

qKesha tem apostado em lançamentos em dias diferenciados quando se leva em consideração o calendário de contagem da indústria fonográfica, que reinicia sempre às sextas-feiras. Sendo assim, com lançamentos às quintas, Kesha tem apenas 1 dia de contagem para as paradas da semana seguinte, o que deixou “Praying” fora da Hot 100 na semana passada, debutando apenas no Bubbling Under em #4 (que lista as músicas que quase entraram para a parada principal). 

Porém, com o desempenho da semana passada, o novo single de Kesha conseguiu entrear direto dentro do Top 25 da parada, aparecendo em #25 na lista das 100 músicas que estão fazendo mais sucesso em solo norte-americano!

Já em solo Australiano, contabilizado pelo ARIA Australian Top 50, “Praying” debutou em #19.

 


Post publicado por Samuel D
14.07

A Drag Queen Sasha Velour, famosa por ganhar a 9º temporada de RuPaul’s Drag Race, fez uma performance de “Praying”, novo single de Kesha, na War on the Catwalk Tour, show apresentado por Trinity das Drags Sasha, Shea, Eureka e Kimora. Confira o resultado:


Post publicado por Samuel D
09.07

Confira as críticas mais relevantes de “Praying”, novo single de Kesha:

 The Musical Hype com 4 estrelas de 5:

“A estrela pop Kesha fez um retorno triunfal após tempos turbulentos, com uma balada surpreendente e emocionalmente sincera.

Enfrente: quem não achou que a carreira de Kesha estava morta? “Praying” definitivamente prova que a peculiar artista pop definitivamente tem mais vida. Além disso, ao invés de retornar com uma faixa gimmicky pop, ela apresentou uma balada que é facilmente a música mais sincera de sua carreira. Adicione a ascensão de cordas e os tambores, e está aí uma grande e poderosa balada  – uma balada com poder celestial.”

– Telegraph UK:

“Praying é uma balada poderosa e sincera que traz luz sob as experiências traumáticas que ela passou durante seu tempo em pausa.” 

– Variety:

“A balada gospel ultrapassa desafios a cada novo verso até que a voz de Kesha esteja mais alta, forte e mais relevante do que nunca […] ela canta com total convicção, aparentemente referenciando-se a Dr. Luke. A narrativa da música é a de uma jornada de autoconfiança após anos de abatimento. Deixar sua angústia de lado e vir ao encontro de seu abusador com uma mensagem de paz é uma jogada corajosa por si só, suficiente para induzir arrepios até mesmo aos mais cínicos.”

– Seattle Times:

“No início (uma batida de piano que nos leva até a introdução), a música simplesmente explode pela segunda ou terceira vez que o cantora chega ao refrão. Em algumas notas, Kesha apenas grita. É um refúgio de extremesser os ossos que todos devem escutar.”

 – Forbes:

“Praying baseia-se em quase nada além do piano e dos vocais de Kesha, que ela aprendeu a controlar depois de anos empurrando seu estilo de rap falado. A faixa se constrói de forma constante, crescendo apenas nos vocais e no piano para algo tão grande que envolve o ouvinte. Liricamente, o novo single de Kesha a vê abraçando sua fé de maneira que seus fãs nunca a ouviram fazer na canção, mas a trilha não é tudo sobre Deus.”

-The Ringer:

“Praying é uma triste, espirituosa afirmação de si mesmo: Não é o primeiro “Foda-se” que Kesha tenha mencionado em alguma música, mas é o mais inspirador, o mais maduro e de longe o mais poderoso.”

-New York Times:
“O primeiro single de Kesha desde 2013, “Praying”, é um perfeito míssel destinado de vingança e tomada de carreira. Com “Praying”, Kesha enterra a imagem relaxada de garota festeira que a fez famosa e retorna como uma injustiçada, íntegra sobrevivente; superando um abuso psicológico e a depressão.”

Post publicado por Samuel D
08.07

Apesar de “Praying” ter seu envio oficial as rádios marcado para dia 18, as estações não estão impedidas de tocar o single. A execução nas rádios é extremamente importante para o desempenho de uma música nas paradas musicais, e o programa “Most Requested Live” vai ao ar todos os sábados em mais de 150 rádios, tendo grande influência na popularização e divulgação de novas músicas. 

O programa vai ao todos os sábados das 20h à meia-noite e para pedir “Praying” é bem simples: Basta enviar o pedido através de tweets, contendo o nome da artista + nome da música + @OnAirRomeo, @MostRequestLive e #MostRequestedLive. Aqui vão alguns modelos que você pode copiar e colar:

Hi @OnAirRomeo @MostRequestLive, can you please play Praying by Kesha? #MostRequestedLive 

Please play Kesha’s new single Praying! @OnAirRomeo @MostRequestLive #MostRequestedLive 

@MostRequestLive @OnAirRomeo please play Praying by Kesha #MostRequestedLive 

Please @OnAirRomeo play Praying by Kesha on #MostRequestedLive @MostRequestLive 

@MostRequestLive @OnAirRomeo I would like to request Praying by Kesha #MostRequestedLive 

Play Praying by Kesha! Thanks @MostRequestLive @OnAirRomeo #MostRequestedLive 

Can you play Praying by Kesha please? #MostRequestedLive @MostRequestLive @JayMacRadio @OnAirRomeo

Nosso objetivo é fazer de “Praying” a música mais pedida da hora! Você pode conferir os resultados em tempo real através da conta oficial do Most Requested Live no Twitter clicando aqui. E acompanhar a gente para concorrer a prêmios! @Keshabrsite

Saiba como ajudar na divulgação de “Praying”


Post publicado por Samuel D
08.07

Pitchfork, remonado site na indústria músical, deixou sua opinião sobre o novo single de Kesha, “Praying”. A crítica foi positiva! Confira:

No final de “Praying”, Kesha solta um pequeno suspiro de alívio. Ela acaba de gritar alto, destacando-se acima de um coro jubiloso durante o clímax de sua primeira nova música em quatro anos. Mas, liricamente, a balada é ligeiramente restrita, pelo menos considerando tudo o que ela passou. É como dizer à pessoa que arruinou sua vida “se cuidar” quando você realmente quer dizer “foda-se”. Apenas uma vez ela realmente transpareceu raiva: “Quando estiver acabada, eles nem saberão o seu nome.” Kesha tem endurecido suas indiretas para os homens em suas músicas a algum tempo, mas o contexto aqui faz isso particularmente violento.

Alguma música sobre abuso já foram tão pública quanto? Nos últimos anos, confessionários como “Til It Happens To You” de Lady Gaga direcionaram uma luz necessária sobre o problema, mas raramente conhecemos os dois lados da história em detalhes tão minuciosos quando ouvimos essas músicas. Ainda mais raro que um homem poderoso veja sua carreira sofrer por essas acusações (embora a mulher sempre sofra). Embora a Sony finalmente tenha cortado os laços com o Dr. Luke, com quem Kesha trabalhou em estreita colaboração e esteve envolvido em uma batalha legal com anos por causa de seus abusos habituais, “Praying” foi lançado pela marca própria de Luke, Kemosabe, devido a obrigações contratuais.

Apesar dessas circunstâncias, “Praying” marca um novo começo significativo para a Kesha. A cantora bravamente assumiu seu abusador, viu #FreeKesha transformado-se em um grito de união, e agora decidiu que ela irá avançar vitoriosamente, mesmo que o tribunal não tenha exatamente aparentado isso. É uma declaração poderosa de resiliência, mesmo que a melodia de piano familiar da música resultante pareça comparativamente morna.

Em teoria, “Praying” era um grande hino antes mesmo de sua primeira nota ser composta, e parece que a música foi construída para fazer jus a essa qualidade. No seu início, ela expõe seus sentimentos mais profundos, como Adele cantando com palavras faladas; No fechamento, como Florence Welch comandando uma orquestra. Mas no meio há a voz de Kesha, menos manipulada digitalmente e mais forte do que costumava aparecer nos registros produzidos por Luke. Ele não pode mais tirar isso dela.

Por Jillian Mapes | Senior Editor da Pitchfork


Post publicado por Samuel D
07.07

Divulgando seu novo single “Praying” e seu álbum “Rainbow”, que sai 11 de Agosto, Kesha também passou pelo programa de rádio de Zach Sang, onde conversou por 40 minutos sobre diversos assuntos que resumimos abaixo:

  • Kesha falou um pouco de como escrever músicas novas serviu de terapia para ela durante os momentos difíceis que  passou nos últimos ano, mas não esconde que agora está mais feliz do que nunca com o lançamento de “Rainbow” e o desempenho comercial do videoclipe de “Praying”.
  • A cantora reforçou a mensagem de empatia que tentou passar com “Praying”, o apresentador tentou linkar a mensagem da música com a situação de Kesha com o produtor Dr. Luke, mas Kesha não falou dele em específico. “Perdoar é difícil, mas eu oro por essas pessoas a noite, especialmente as mais díficeis [de se lidar], porque isso promove a minha cura”.
  • Kesha sobre o motivo de seu novo álbum se chamar “Rainbow”: “a representação de cor em cor para mim é muito simbólica, por exemplo, luz, alegria, juventude, e com juventude vem a ingenuidade, e eu sinto que quando você cresce, você passa por muitas coisas, tem seu coração partido e coisas do tipo, e as coisas te machucam e começam a arrancar pedaços do seu coração e pra mim foi o oposto, tentei curar meu coração da melhor maneira que pude e me conectar de volta com essa inocência, variedade de cores, diversão e ingenuidade […] Quis me reconectar com minha criança interior […] liberdade espiritual.”
  •  Kesha disse que ainda ama e tem uma enorme conexão com suas músicas antigas e que o fato de ter evoluido desde os últimos álbuns não significa que ela está ignorando seu passado, ela explicou que cada momento teve sua importância e esse álbum representa onde ela está agora.
  • Kesha falou sobre a “Fuck The World Tour” e como ela era livre de cerimônias, não haviam cantores de fundo nem dançarinos, era “uma bagunça,” segundo Kesha, e foi isso que a tornou tão divertida.
  • Kesha disse que as pessoas deverão estranhar o novo álbum por ser diferente dos antigos.
  • Kesha cometou sobre a música “Spaceship”, onde ela estava em Joshua Tree e avistou um monte de naves espaciais no céu. Ela jurou que estava sóbria.
  • Kesha falou sobre o monólogo que inicia o vídeo de “Praying”, que é meio que uma metáfora que sintetiza pensamentos que uma pessoa que sofre de depressão pode desenvolver eventualmente, como ela mesma chegou a enfrentar.
  • Kesha falou que ficou chocada com seu próprio desempenho vocal em “Rainbow”. No último refrão da música, há uma nota muito alta que se destaca, segundo a cantora, levaram 10 tentativas para finalmente conseguiu alcançar o resultado desejado, e ela ficou extremamente feliz com o feito. A artista também comentou que percebeu que sua voz mudou um pouco desde os últimos álbuns.
  • Kesha reforçou que todas as músicas são extremamente pessoais, e disse que os fãs provavelmente não se importarão se ela derramar algumas lágrimas ao performá-las.
  • Ao ser questionada sobre quais músicas suas serão eternas, Kesha ficou com “Tik Tok” e “Timber”, o apresentador apostou também em “Praying”
  • “Eu sou a Rainha do glitter, esse título nunca será tirado de mim” – Kesha sobre o uso de glitter em seus shows.
  • Kesha reforçou que o “$” não a representa mais, por isso retirou de seu nome artístico, mas querendo ou não, está tatuado em sua mão.
  • Kesha falou sobre os sapatos que estava usando na entrevista, ela comprou eles em Londres no começo da semana em uma loja vintage, pois eles supostamente teriam sido usados por David Bowie. Ela afirma que talvez tenham a enganado.
  • Questionada sobre o episódio com Jerry Stainfeld, Kesha respondeu “Nunca consegui aquele abraço”, em compensação, ela estava feliz por ter conhecido (e abraçado 2 vezes) Bob Dylan semanas depois.


Page 1 of 212


Twitter



Facebook



Entre no Estilo