Post publicado por Samuel D
07.08

A slant magazine divulgou uma review do “Rainbow”, novo álbum de Kesha com lançamento programado para dia 11. A revista falou bem do material, dando-o 3,5 de 5 estrelas. Confira a opinião do veículo de mídia:

O álbum abre com a devidamente intitulada “Bastards”, que começa como uma bocejane balada country antes de entrar em um brilhante estilo “Hey Jude” suavizada por algumas guitarras elétricas. A faixa serve como uma declaração de propósito: “Fui subestimada a minha vida inteira / Eu sei que as pessoas vão falar merda, e querida, está tudo bem” – se sente como uma reintrodução estilisticamente perturbadora de Kesha como artista. Ela não perde tempo, no entanto, lembrando-nos de que ela ainda é capaz de zombar da irreverência. Como em “Bastards”, a faixa “Let’s Em Talk” assume os “haters” de Kesha, mas o faz com um senso de humor acerbado quando canta: “Chupe meu pau”, em uma voz angelical.

Como sua batalha legal contra o Dr. Luke ainda não foi resolvida, Kesha caminha numa linha delicada por todo o álbum, sem medo de se tornar pessoal, mas consciente das propriedades universais de uma boa música pop. O carro-chefe do álbum, “Praying”, funciona como uma música de separação no estilo de Adele e um pouco de abuso: “Bem, você quase me enganou / Disse-me que eu não era nada sem você.”. Ao entregar seu testemunho, a trilha desenvolve lentamente – com cordas, bateria e, finalmente, um coro – antes do clímax com um arrepiante lamento da cantora, que parece ter passado mais de meia década para fazer.

Em outros momentos, “Learn to Let Go” pretende inspirar-nos a relevar o passado, com palavras de sabedoria da Kesha, temperadas com uma dose saudável de ceticismo: “Eu sei que sempre digo a todos que você não precisa ser uma vítima”. Para todos as mensagens genuínas do álbum e diretrizes de auto-ajuda sinceras, ela nunca se leva muito a sério. Apesar da falta de cânticos sobre álcool, a personalidade turbulenta de Kesha permanece intacta em músicas como “Boots”, anulando qualquer suspeita de que sua imagem de “garota-festeira” fosse uma criação de estúdio: “Se você não consegue lidar com essas garras, então não pegue essa gatinha”, ela canta.

Criada em Nashville, Kesha mergulhou os dedos pela primeira vez nos pops-country com “Wonderland” do “Warrior”, mas ela mergulha ainda mais fundo em canções como “Hunt You Down” e a encantadora bagunça acústica de “Godzilla”. Ela até faz um cover de “Old Flames (Can’t Hold a Candle To You)”, uma música co-escrita por sua mãe, Pebe Sebert, no final dos anos 70 e popularizada por Dolly Parton, que também tem sua participação aqui. Essa interpretação é desnecessariamente estridente, em comparação com a versão anterior da Dolly e a anterior e fantasmagórica da Kesha. Rainbow possui uma autenticidade – e uma sensação de diversão desenfreada – que a “Joanne” de Lady Gaga não tem.

Rainbow provavelmente não passaria o teste retórico de objetividade crítica: se não fosse um álbum da Kesha, é improvável que alguém percebesse isso. Mas, embora não seja a descoberta de um novo talento, certamente é o aprofundamento de um talento já existente em uma longa lista de estrelas pop femininas que inicialmente ofereciam uma agência criativa e “profissional limitada”, agora tentando explodir o patriarcado.

FONTE: Slant Magazine


Post publicado por Pedro I.
03.08

Hoje (03.08), o site Headline Planet anunciou que a cantora Kesha tem performance marcada para a véspera do lançamento do álbum “Rainbow (10.08) no programa “Tonight Show Starring Jimmy Fallon”.

Como o programa inicia poucos minutos antes de dar meia-noite e sua performance está programada para ocorrer no final do programa, ao encerrar a performance, o álbum “Rainbow” já estará disponível nas plataformas digitais, sendo assim uma ótima maneira de alcançar maior engajamento.

Sua última vez no programa foi em 2014. Confira:

FONTE: Headline Planet


Post publicado por Pedro I.
03.08

Provavelmente, a experiência mais poderosa que já tive como artista é ter fãs que dizem que tal música ou álbum ajudou-os em momentos difíceis.  Alguns deles chegaram a dizer para mim que minha música ajudou a salvar a vida deles. Isso é difícil de compreender, e enquanto eu viver, nenhuma outra honra igualará isso. Ouvir essas palavras dos fãs me transformou.

Eu acho que uma das razões pelas quais minha música se conecta com pessoas que sentem que não se enquadram é porque eu nunca me encaixo – é por isso que a música “Hymn” é tão especial para mim. O título original foi “Hymn for the Hymnless”. E quando eu digo “hymnless”, estou falando de pessoas que sentem que não se encaixam, pessoas que não têm um hino.

É assim que sempre me senti – nunca houve um grupo que fosse inteiramente meu. Os versos são: “Este é um hino para os que não se encaixam, crianças sem religião”. A religião, para mim, nesta música não significa necessariamente a religião como na sua crença espiritual, mas sim como crianças sem um modo de vida definido. Eu ainda estou tentando descobrir o que eu acredito e o que está no meu coração, e eu sei que não estou sozinha. Minha mente e minhas opiniões continuam mudando e expandindo.

Acho que nunca houve um momento mais importante para os sonhadores serem sinceros sobre suas crenças do que agora. Eu estava lembrando de alguns momentos em que saí às ruas no ano passado para saber o que sentia sobre certos problemas ao escrever versos como “Go on, read about us in the news… After all we’ve been through/ No, we won’t stand and salute … If we die before we wake/ Who we are is no mistake/ This is just the way we’re made”. Eu nunca vou parar de lutar pela igualdade para todos os seres humanos. Essa é a paixão por trás dessa música.

Esta música é dedicada a todos os idealistas do mundo que se recusam a dar as costas ao progresso, ao amor e à igualdade quando são desafiados. É dedicado às pessoas que saíram pelas ruas do mundo todo para protestar contra o racismo, o ódio e a divisão do que for. Também é dedicado aos que sentem que não são entendidos pelo mundo ou não são respeitados por ser quem são. É uma canção esperançosa sobre todas essas pessoas – que eu também me considero – e o poder que todos nós temos quando estamos juntos.

Eu escrevi a música com minha mãe (Pebe Sebert), Cara Salimando, Jonny Price e o gênio galáctico Ricky Reed. Por causa do assunto desta música, eu tive que trabalhar com a minha mãe na composição – como eu, sua cabeça está acima das nuvens, no espaço. Eu sou uma alma frágil para este mundo – Eu sinto que vivo por algo inexplicável e mágico no espaço sideral. Eu adoro essa ideia de pessoas com filosofias semelhantes reunidas, e essa foi uma das inspirações para essa música.

Espero que esta seja uma dessas músicas que conectam com aqueles que se sentem rejeitados, especialmente com os jovens de hoje crescendo com a internet, porque o bullying hoje é tão assustador devido a toda a tecnologia. Isso acaba com o meu coração ao ouvir sobre crianças sendo atacadas online sendo tão jovens e sensíveis. Eu creio que ninguém deve ser submetido ao assédio e ao ódio, e isso inclui na internet. Eu sei que, por experiência pessoal, esses tipos de comentários podem ser muito mais do que doloroso. Esses comentários podem realmente prejudicar a autoconfiança e a auto-estima. Então, quando canto a letra desta música, faço isso para lembrar que não podemos deixar que os haters e a negatividade ganhem. Sabemos “que somos perfeitos, mesmo quando estamos fodidos”. Somos todos “sonhadores que procuram a verdade”, e sabemos que o inexplicável bem universal nas pessoas – o amor inato, a luz e compaixão de um pelo outro – nos unirá para fazer ótimas coisas.

Confira agora “Hymn”, quarta faixa liberada do álbum “Rainbow”:

FONTE: Mic


Post publicado por Samuel D
02.08

Kesha subiu ao palco do YouTube Space LA e cantou as novas “Praying” e “Woman”, os ícones “We R Who We R” e “Tik Tok” e a inédita “Hymn” que, infelizmente, não foi transmitida, mas a noticia boa é que a música deve ser lançada amanhã (3)! Confira a transmissão na íntegra:


Post publicado por Samuel D
02.08

Ontem, Kesha realizou a primeira performance de “Praying” em seu evento promocional para o álbum “Rainbow”. A transmissão foi ao ar hoje no canal oficial da cantora. Confira a performance:


Post publicado por Samuel D
01.08

Hoje (1) está acontecendo um evento fechado organizado por Kesha, onde a mesma apresentará algumas músicas inéditas presentes no “Rainbow”, seu terceiro álbum de estúdio que tem lançamento marcado para dia 11. Alguns fãs sortudos foram convidados pela cantora para comparecerem a ação promocional, que está acontecendo em Los Angeles, na California, porém nenhum celular foi permitido enquanto o evento acontecia.

Há algum tempo, a equipe de Kesha anunciou nas redes sociais da cantora que o evento promocional será exibido na íntegra através de uma transmissão no canal secundário de Kesha no Youtube (/Kesha, não confundir com o /KeshaVEVO).

“Animals! Assistam-me estreando músicas novas do Rainbow no Youtube amanhã às 2 da tarde no horário do Pacífico (18h em Brasília)” – Apesar do anúncio, não é claro se Kesha performará músicas inéditas ou as tocará as versões de estúdio em primeira mão aos fãs presentes. 

A transmissão acontece amanhã (2) às 18h no horário de Brasília através deste player: 


Post publicado por Pedro I.
01.08

Hoje (01.08) o site oficial da Kesha divulgou novas datas da “Rainbow Tour”, que já tinha algumas datas reveladas dias atrás.

Até o momento, 25 shows foram anunciados, sendo 22 deles nos Estados Unidos, um no Canadá e outros dois para o Summer Sonic Festival, no Japão, ainda neste mês de agosto.

Entre os shows anunciados para os Estados Unidos, um deles também será em um festival: “Kaaboo Del Mar”, na Califórnia.

Para a maioria dos shows a venda está indisponível no momento, mas algumas casas de shows já divulgaram que os ingressos variam de US$40 a US$50. Na compra de um par de ingressos, você também recebe o álbum Rainbow em versão física.

O mapa de setores e do palco para os shows solos ainda não foram anunciados.

No anunciamento pela sua conta no Instagram, a cantora agradeceu aos fãs, disse que não conseguiria chegar até este momento sem nós e convidou a todos para participar desta turnê. Confira:

? ANIMALS! ???? I’m going on tour! I would not have made it to this point without you so come out and join the celebration with me. Let’s boogie! ♥️ Register for pre sale now. Link in Bio

Uma publicação compartilhada por Kesha (@iiswhoiis) em


Post publicado por Samuel D
29.07

Segundo o TMZ, Dr. Luke não está satisfeito em como as coisas andam judicialmente na batalha contra Kesha, que vem se desenrolando desde 2014. Confira o último update divulgado pelo TMZ:

 Lady Gaga tem se esquivado de Dr. Luke, recusando-se a depor no caso contra Kesha, mas agora ele quer que o juri force-a a depor… TMZ ficou sabendo.
O Dr. Luke arquivou documentos que exigiam que a Gaga assinasse uma data em que ela se sentasse para o depor no tribunal. Nos documentos, Luke diz que ela tentou oferecer uma declaração escrita em vez disso… mas ele diz que isso não é o suficiente. Ele quer que seus advogados fiquem cara-a-cara com a cantora por mais de 3 horas.
A trama quente sobre a qual Luke quer que ela fale é uma conversa de mensagem de texto entre Kesha e Gaga. De acordo com os documentos, obtidos pela TMZ, os textos incluem Kesha dizendo que ela tinha sido abusada por Luke e implorando Gaga para se juntar a uma “campanha de difamação contra [Dr. Luke]”. Luke diz que a campanha incluiu Gaga demandando que a Sony Music cortasse os laços com ele e a promover “Free Kesha” nas mídias sociais.
Os advogados de Luke convocaram Gaga para obter uma cópia dos textos, mas de acordo com os documentos a cópia que obtiveram foi tão redigida que era incompreensível.
Luke quer que o juiz force Gaga a entregar uma versão original imediatamente.

Fonte: TMZ

UPDATE: De acordo com documentos judiciais obtidos pela E! News, a cantora de “Born This Way” aparecerá para uma deposição conforme a intimação de Dr. Luke nesta ação, durante o mês de setembro de 2017. Mais detalhes como data, local e hora ainda não foram divulgados. 

Fonte: E! News


Post publicado por Samuel D
29.07

Ontem, Kesha realizou uma listening Party em parceria com o Spotify. O evento aconteceu em Malibu, California, e reuniu alguns fãs sortudos da cantora. Confira as fotos:

Kesha – Spotify Listening Event

Mais tarde, via instagram, Kesha comentou sobre o evento:

Obrigada ao meu amor Austy pelos abraços e ao @popotify por ter uma épica pequena e intima sessão de encontro para alguns dos meus Animals e para mim! Hoje foi bonito e perfeito, obrigado por passarem um tempo comigo hoje comigo, adorei, foi tão especial ✨ amor todo o caminho ?????????


Post publicado por Samuel D
28.07

Desde o lançamento de “Praying”, lead single do terceiro álbum de estúdio de Kesha, a cantora vem liberando singles promocionais semanalmente, exceto pelo dia 20 de julho, dia especulado para a liberação de “Hymn”, porém não ocorrido.

O fato é que, conforme comentado por insiders, o plano de Kesha e sua gravadora para a promoção do novo material seria transformar um dos singles promocionais no segundo Single oficial do registro, podendo explicar (ou não) o fato da canção ter tido seu lançamento segurado mesmo após alguns indícios de que sairia no último dia 20.

O lado bom é que parece que estamos cada vez mais perto de ouvir “Hymn”, música que também pode ser a aposta de Kesha e sua gravadora para o segundo Single oficial do álbum “Rainbow”. Fãs que compraram o álbum “Rainbow” no site oficial de Kesha receberam a seguinte mensagem via e-mail:

“Seu pedido lhe qualifica para baixar de graça o novo Single “Hymn” no dia 03 de agosto às 9h.”

Uma arte inédita também vem sendo associada a canção, porém ainda é incerto se servirá de capa para o Single ou apenas uma imagem promocional. 


Page 10 of 48« First...89101112...203040...Last »


Twitter



Facebook