Noticias | Kesha Brasil | Page 35
Post publicado por Samuel D
25.05

print

Quinta-Feira, um Juíz se apossou de um pedido vindo do produtor Dr. Luke, para negar ou colocar em espera a ação judicial da cantora alegando que ele drogou e estuprou a cantora de “Tik Tok”.

A Juíza da Corte Superior de Los Angeles, Barbara Scheper, disse que quer ponderar o caso ainda mais e ver uma queixa alterada que os advogados de Kesha dizem que vão apresentar em breve.

Dr. Luke, cujo nome verdadeiro é Lukasz Gottwald, alega que Kesha inventou a história do estupro como parte de um esquema de extorsão para sair de seu contrato de gravação exclusivo.

O advogada de Dr. Luke, Christine Lepera, disse Kesha assinou acordos com Dr. Luke afirmando que quaisquer disputas judiciais seriam decididas em Nova York. Portanto, o caso da Califórnia deve ser negado ou armazenado para que todas as acusações possam ser ouvidas em Nova York, disse ela.

“O que realmente está ocorrendo é um ‘eu quero sair ‘”, Lepera disse em referência a Kesha, a quem a advogada alega ter processado  Dr. Luke como parte de um esforço para ter seu contrato rescindido.

A observação trouxe uma forte reação de advogado principal de Kesha, Mark Geragos. Ele disse que o caso do cantor envolve acusações de abuso sexual que ocorreram na Califórnia, não New York. Ele negou que a ação judicial da sua cliente, apresentada no mesmo dia (em Outubro) que a de Dr. Luke, estava relacionado com a disputa de contrato.

Kesha, 28, apareceu no tribunal hoje, mas não falou durante o processo. Ela se reuniu com Geragos e seus outros advogados no corredor após a audiência.

Lepera e outro advogado de Dr. Luke, Adam Levin, disse que eles estavam “cautelosamente otimistas” que Scheper (Juíza) acabaria por descartar a acusação em nome do seu cliente.


Post publicado por Samuel D
19.05

Captura de Tela 2015-05-19 às 14.39.21

Pouco tempo depois do lançamento de seu segundo álbum de estúdio, “Warrior”, Kesha já vem escrevendo novas canções que poderão entrar no próximo álbum ou acabar sendo descartadas como “Woo Hoo”, “Meet Me In Space” e inúmeras outras que já cansamos de contar. O fato é que o lançamento do próximo álbum bate de frente com toda a polêmica envolvendo Dr. Luke, mas a cantora garante que irá lançar músicas novas o mais rápido possível. Será que vai ser mais rápido do que imaginávamos?

Há algum tempo já haviam sido registrados títulos como “You Fucked With the Wrong Bitch”, “Brutus”, “Skeleton”, “Wolf Song”, “U Suck Ass” e “Child Of The Moon”, inclusive Kesha já nos deu um gostinho das quatro primeiras faixas mencionadas na segunda temporada de seu documentário, “Kesha: My Crazy Beautiful Life” (aonde chegou a descrever o próximo álbum como “destemido”, mas isso antes de toda a polêmica já mencionada). Um tempo depois, mais 3 músicas foram registradas! Chamadas “!! PELICAN”, “Darko” e “OKAY 12 30 09” (lembrando que os títulos podem ser provisórios). Vale ressaltar que apesar das 3 canções estarem registradas em nome de Kesha, ela não esta creditada como compositora (inclusive “Darko” consta como escrita por Dr. Luke), então é provável que essas últimas acabem descartadas visto que Kesha tem o costume de escrever todas as suas músicas e vem tentando se desvincular de Luke. De qualquer jeito, nada impede que a mesma adicione novos versos as músicas em questão. Continuamos esperando por mais informações…


Post publicado por Samuel D
14.05

Captura de Tela 2015-05-14 às 15.57.35

As rotinas de beleza matinais de Kesha são mais simples do que você poderia esperar de uma garota um dia reconhecida por seus lábios pintados a ouro, com as pálpebras carregadas de lápis de olho e uma queda pública por glitter. Mas, durante uma recente visita aos escritórios da Vogue, a nova cantora de cara limpa admite que seus dias de garota festeira feroz ficaram por trás dela. Na cidade, em meio a turnê internacional e em estúdio trabalhando em novas músicas, sua pele saudável e com sardas é a prova de que ela realmente coloca isso em prova. “Eu realmente queria fazer uma mudança – estar mais crua e real”, explica a cantora sobre sua transformação visual, que é acentuada pela sua saia ultrafeminina e jaqueta. “Eu queria ser mais confiante em mim mesma – abraçar cada polegada do meu corpo – não tentar encobrir ele com maquiagem.”

A nova perspectiva da cantora é tão refrescante como também foi conquistada de maneira dura. Após o sucesso esmagador do single “Tik Tok” em 2009, a cantora nativa de Los Angeles se recorda de, inicialmente, cantar numa sala com 30 pessoas que se transformou numa multidão de quase 6000 pessoas em festivais, por noite. “De repente eu tinha todos esses fãs, mas também muitos críticos”. Sua personagem dominante de artista, com cabelo glam rock e maquiagem estilo Alice Cooper – tudo projetado para celebrar a liberdade pessoal, foram polarizando. As reações vieram de todas as direções – hackers, blogueiros e até mesmo de um colega e seus punhais de corte profundo. “Lentamente minha auto-estima começou a se deteriorar.” O que começou como uma preocupação com sua imagem corporal, eventualmente, se transformou em um transtorno alimentar. No início de 2014, quando a situação chegou ao auge, Kesha decidiu dar uma pausa e recalibrar-se passando um período numa clínica de reabilitação. Desde então, ela voltou aos palcos se sentindo mais feliz e mais ela mesma. Agora, um ano depois, ela senta para falar sobre a sua evolução pessoal e física, sobre o lugar da gratidão e brilho na sua nova vida e o poder de auto-aceitação.

Você passou por uma metamorfose em relação a beleza no ano passado. Você pode me dizer o que estimulou a mudança?

Eu tive um monte de altos e baixos. Tem sido uma jornada e tanto. [Com as críticas] fui a um lugar escuro. Passando grandes períodos sem comer, e eu comecei a pensar que estar com fome a ponto de quase desmaiar era algo positivo. Quanto pior ficava, mais comentários positivos. Por dentro eu estava realmente infeliz, mas por fora as pessoas estavam tipo, “Uau, você está ótima.”

Como você saiu desse ciclo?

Eu estava cantando  músicas como “We R Who We R”, e eu realmente acreditava nelas. Eu queria ser genuína. Mas eu estava triste e não estava comendo. Isso não é bom para o seu corpo, metabolismo, ou cérebro. Falei com o meu terapeuta, e ela disse: “Eu acho que é hora de ter um momento para resolver isso.” Eu liguei para minha mãe uma noite e eu disse a ela: “Eu preciso de ajuda.” Eu fui a um site específico sobre reabilitação de distúrbios alimentares, onde uma nutricionista me ensinou que o alimento é uma coisa positiva para o seu corpo. Percebi que ser saudável é a coisa mais importante que posso fazer por mim mesma. Agora, eu estou tentando abraçar a pele na qual estou dentro. É difícil às vezes. Todos os dias eu tenho que olhar no espelho e escolher ser gentil comigo mesma. Esta é quem eu sou, eu tenho que amar isso.

Como você se sente agora?

Parte de ser saudável é ser positivo. Eu não dou atenção para Internet ou blogueiros. Eu me cerquei de pessoas positivas. Eu corro algumas milhas na praia todos os dias, e eu entrei em meditação transcendental para tentar encontrar alguma paz em minha vida louca. Isso me lembra de ser grata por onde eu estou, pelo meu corpo e minha cara – mesmo tão imperfeita quanto possa ser.

Dá para notar – você parece bem e sua pele está brilhante.

Bem, eu sou uma colecionadora de beleza. Eu tenho todos os tipos de soros de rosto e loções. E eu tenho essa esteticista, Francesca Paige, que faz mágica. Antes de eventos importantes, eu recebo este louco tratamento oxigenante – faz sua pele brilhar. E eu recebo essas máscaras de folha de colágeno dela, que eu mergulho em água engarrafada em seguida, coloco no meu rosto. Ela é um salva-vidas.

E a sua maquiagem? Esta bastante natural esses dias.

Agora eu uso rímel e batom, e [para o brilho] eu uso um pó da NARS em minhas bochechas. Em minha pele, eu comecei a usar um spray da Dior quando eu estava em turnê –  é tão fácil, como tinta spray para o seu rosto, mas da brilho.

É esse o look que você usa no palco – maquiagem sem maquiagem? 

[Maquiagem para os palcos] tem que ser mais produzida do que seria para andar na rua, muita lantejoula, muito drama. É minha estética, porém mais ao extremo. Eu tiro muita inspiração do final dos anos setenta, quando os homens estavam usando maquiagem com calças apertadas e ternos, estilo [David Bowie como] Ziggy Stardust. Houve um tempo que meu maquiador, Vittorio Masecchia, costumava colar enormes pedras no meu rosto.

Olhando para trás, você tem algum arrependimento sobre beleza?

Você quer dizer o dente de ouro que eu removi? [Risos] Não, eu olho para trás com amor, porque eu estava me divertindo muito [com cabelo e maquiagem]. Uma vez que fui num tapete vermelho com um moicano, mas eu provavelmente nunca vou fazer isso de novo. E antes de subir no palco eu costumava derramar cerveja no meu corpo [como uma cola] e, em seguida, rolar em uma banheira cheia de glitter. Eu não faço mais isso, porque ele irritou minha pele.

Ainda existe um lugar para glitter em sua vida?

Eu não acabei com ele para sempre, ainda há toques de glitter.

Sim, sempre tem [glitter] nas manicures que você posta no Instagram.

Eu sou obcecada por arte de unha. Agora eu estou com minhas unhas estilo francesinha ombré. Tudo começou quando eu fui para o Japão – tem este lugar chamado esNail, que ia criar flores 3-D nos meus dedos, colocar pedras loucas sobre eles e construir pequenas cidades – Eu deixei ir até o ponto aonde eu não podia nem mesmo usar as minhas mãos porque estavam muito sofisticadas. Eu me acalmei um pouco em relação a isso, mas eu ainda gosto de me divertir. Eu decidi que tudo na minha vida deve ser divertido, caso contrário, qual o ponto?

Fonte: Vogue


Post publicado por Samuel D
25.04

Após um período longe dos olhos do público em meio a um confronto com seu colaborador de longa data, a estrela pop se apresentou em uma pequena casa de shows de Rock em Washington.

lead_960

É impossível saber realmente o que uma figura pública esta sentindo, o que explica o porque de ser um passatempo nacional especular sobre isso. E isso vale em dobro para o mundo da música pop, aonde a canção de um músico caminha ao lado de sua “narrativa” – ambas criadas pelo próprio ou não – na maioria das vezes. Kanye West foi recentemente cercado pela história de estar sendo transformado pela paternidade, casamento e um contrato com a Adidas. Lady Gaga, como todo mundo sabe, esta em sua fase “normal” depois de seu estouro nas campanhas publicitárias. Beyoncé, se você acredita no Instagram, está aproveitando a melhor vida na Terra como recompensa pelo seu trabalho duro e perfeição própria.

Kesha, antigamente Ke$ha, de nome real Kesha Rose Sebert, é… bem, é difícil dizer. Depois de reinar como uma celebridade no topo das paradas por alguns anos sobre a força de sua grande potência e hinos dançantes irreverentes – com uma presença visual que contou com glitter, pintura facial e dedo do meio – a sua imagem como super humana guerreira começou a rachar. Alguns singles tiveram desempenhos inferiores em 2013; pessoas do seu time começaram a se queixar sobre o produtor, Dr. Luke, ser muito controlador; ela foi para uma clínica de reabilitação por causa de um transtorno alimentar; tirou o cifrão de seu nome. Depois de passar boa parte de 2014 fora dos olhos do público, ela entrou com uma ação judicial alegando que Dr. Luke a abusou sexualmente e emocionalmente, incluindo uma acusação que ela havia sido dopada e estuprada por ele. Ele rebateu a acusação, dizendo que ela estava apenas tentando sair de seu contrato.

Dr. Luke, de nome real Lukasz Gottwald, não é apenas um produtor. Ele era uma parte essencial da história de Kesha, a pessoa que assinou com ela aos seus 19 anos e que co-produziu ou co-escreveu basicamente a maior parte de seus hits (para não mencionar outros esmagadores de Katy Perry e Kelly Clarkson). Mesmo antes da ação judicial de abuso, ela e sua mãe haviam confirmado publicamente suspeitas de fãs que Luke estaria sufocando a criatividade de Kesha e que ela queria se ramificar em diferentes tipos de música. Agora que a separação é oficial, o que isso significa para Kesha, a performer? E pra onde essa narrativa pop vai depois de uma virada tão feia?

Semana passada, o Black Cat Rock Club, em Washington, anunciou que Kesha iria se apresentar lá na terça-feira à noite, e que os ingressos iriam à venda ao meio-dia por 25 dólares cada. Na sequência de algumas apresentações em campus universitários e shows beneficentes, a aparição seria sua primeira performance pública nos Estados Unidos desde 2013, em um local que não é nada como os estádios nos quais ela tinha tocado antes: escuro e pequeno, com uma capacidade para cerca de 750 pessoas. A apresentação se aproximava. Por que uma estrela pop ultra-famosa planejava seu retorno em um pequeno local que geralmente acolhe cantores de indie e rock? Iria ela abandonar todas as suas canções com Luke e tocar coisas inéditas? Seguir a onda de seu cover divisor de opiniões de Bob Dylan e fazer um acústico? Apostar novamente em sua recente imagem Rock Star e fazer um show metal? Dizer algo sobre as controvérsias? Os ingressos se esgotaram em menos de quatro segundos.

Mas desde a abertura do show, estava claro que aquilo não seria o lançamento de uma nova versão de Kesha (Kesha 2.0). Ela começou o show com a faixa-titulo do album Warrior, que teve uma grande produção de Dr. Luke em 2012. Dançarinos movimentando espadas como samurais, e o público, cheio de glitter, cocares e adereços de unicórnio, inspirados em clipes da cantora, gritava. E continuaram gritando durante o resto o show, que ofereceu praticamente qualquer coisa que um fã poderia querer: confete, adereços, “Tik Tok” e “Timber”.

Membros da banda tocavam guitarra e teclado e, ao cantar Die Young – musica que a cantora disse que foi forçada a cantar – foram usados tambores. Em quase todo o show, Kesha tinha performado como uma performer pop: cantando com uma base pré-gravada, com troca de figurinos e o uso de efeitos visuais. Ela se mostrava feliz por estar lá, balançando as vigas e promovendo um clube de strip gay no local. Tirando seu cover/mashup de “Loyal” do Chris Brown e “Jealous” do Nick Jonas, a setlist foi formada inteiramente por músicas que a cantora já havia lançado; “Lover”, a música livre de Dr. Luke que vazou ano passado, não fez parte.

Após o show, a cantora tweetou “esta noite foi tudo para mim” e “estar em turnê me dá vida”, então talvez a cantora tenha optado por fazer shows em palcos pequenos e com pouco aviso prévio apenas para se divertir, e mais precisamente para evitar que haja uma pressão do publico para o relançamento de sua carreira. Ela logo vai se apresentar em outro campus universitário em Baltimore, e depois vai entreter a parada gay de Los Angeles. Você pode imaginar esses shows – todos com público fanático garantido – como um refresco psicológico para ela ou como um despertar de seus fãs, ou como uma prova de que ela é uma artista completa totalmente independente de Dr. Luke, ou como uma indicação de que ela quer deixar para trás o drama. Ou, como os muitos fãs revestidos de brilho contentes por terem tido uma terça-feira à noite épica, você poderia esquecer a narrativa e ver a performer fazendo o seu trabalho, e fazendo bem.

Fonte: The Atlantic


Post publicado por Samuel D
25.04

Warrior_(Standard)

A Billboard divulgou ontem (24) uma lista de músicas injustiçadas que deveriam ter sido lançadas como single, na opinião deles. Em meio de artistas como Rihanna, Katy Perry, Taylor Swift, Lady Gaga, Justin Timberlake e outros, Kesha não ficou de lado. Segundo o site, “Only Wanna Dance With You” definitivamente deveria ter sido um single, confira:

Algumas músicas do “Warrior”, segundo album de Kesha, soam como não boas o suficiente, como se as desventuras da louca estrela electro-pop precisassem ser enunciadas em extremos detalhes. Entretanto, “Only Wanna Dance With You” permanece surpreendentemente amável, um conto sobre duas crianças que bebem vinho sentadas no asfalto do lado de fora de uma lojinha 24h, não querendo expandir nenhum sentimento em relação ao outro, mas sabendo que já existem. A arejada canção teria feito uma adorável mudança nos singles “Die Young” e “C’Mon”, mas continua a ser um tesouro escondido para os admiradores de Kesha.

Confira outras músicas presentes na lista:

  • Miley Cyrus, “#GETITRIGHT”
  • Rihanna, “Lost In Paradise”
  • Justin Timberlake, “Let the Groove Get In”
  • Demi Lovato, “Something That We’re Not”
  • Beyonce, “End of Time”
  • Taylor Swift, “State of Grace”
  • Usher, “Show Me”
  • Britney Spears, “(Drop Dead) Beautiful”
  • Katy Perry, “Double Rainbow”
  • Justin Bieber, “Roller Coaster”
  • P!nk, “Are We All We Are”
  • Lady Gaga, “MANiCURE”
  • One Direction, “Little Black Dress”
  • Adele, “I’ll Be Waiting”

Fonte: Billboard.com


Post publicado por Samuel D
22.04

Kesha+9th+Annual+Delete+Blood+Cancer+Gala+5EfhLhiv4hvx

Na noite de ontem (21), Kesha realizou mais um show nos Estados Unidos, dessa vez no Estado de Washington, em uma casa noturna chamada “Black Cat”. Quando foi divulgada a setlist, uma polêmica surgiu entre os fãs: Havia sido adicionada uma música de nome “New”. Logo, todos começaram a especular que seria performada uma música nova, que no final foi um cover de Chris Brown, Nick Jonas e Big Sean. Confira a setlist, fotos e vídeos:

CDKBzavWEAEW2UL

 

Trecho do cover de “Jealous” (Nick Jonas), “Loyal” (Chris Brown) e “I Don’t Fuck With You” (Big Sean):

 

Trecho de “Timber” onde Kesha chamou drag queens no palco para dançar:

+Vídeos:

Timber: 1

Your Love Is My Drug: 1

Die Young: 12

Cover (Loyal + I Don’t Fuck With You + Jealous): 1, 2

We R Who We R: 1

+Fotos:


Post publicado por Samuel D
17.04

Kesha+9th+Annual+Delete+Blood+Cancer+Gala+5EfhLhiv4hvx

Nesta quinta (16) Kesha esteve presente no 9th Annual Delete Blood Cancer Gala, um evento beneficente que procura arrecadar doações para pesquisas e tratamento contra o câncer de sangue. A cantora passou pelo tapete vermelho e tirou fotos ao lado de Peyton List, Katharina Harf e Georgia May Jagger. Além disso, Kesha ainda performou no evento, confira vídeos de “We R Who We R“, “Your Love Is My Drug” e “Tik Tok“. Confira as fotos do evento:


Post publicado por Pedro I.
20.03

(photo_2)_keshadinner-724x49212
Meses após o inicio da batalha judicial entre Kesha e Dr. Luke, ação movida pela Kesha se torna prioridade entre as que envolvem Kesha, sua mãe e o produtor Dr. Luke.

Hoje (20.03), o Supremo Tribunal de Nova York decidiu colocar a ação movida pela Kesha como prioridade entre outras duas movidas pelo produtor musical, Dr. Luke, contra a cantora. O porque? O simples fato de que cada ação foi movida em um estado americano diferente.

Quando Kesha entrou em processo contra Dr. Luke, sua única ação foi arquivada no estado da Califórnia. Logo após, Luke também arquivou outros dois processos (os dois semelhantes): um em Nova York e outro no Tennessee.

Pelo fato do Dr. Luke mover duas ações semelhantes, em estados diferentes, fez com que juízes desconfiassem de que essas ações poderiam afetar o resultado da que foi feita pela Kesha (a primeira a ser arquivada). Então Shirley Kornreich decidiu que a ação da Califórnia deve manter-se em primeiro lugar. Como justificativa, a juíza disse que as ações de Dr. Luke “apresentam reivindicações semelhantes, com a possibilidade de decisões contraditórias, já o caso da Califórnia alega reivindicações legais e especificamente ocorridas na Califórnia.”

Desde o mês de Outubro do ano passado, processos jurídicos foram arquivados entre Kesha, Pebe e Dr. Luke. De lá para cá, muitas coisas ocorreram nesta batalha judicial e para entender melhor o que ocorreu desde o inicio, clique aqui.

FONTE: Hollywood Reporter


Post publicado por Pedro I.
07.03

11050907_978932315472951_105162207_n

Além do show marcado para o dia 25 de Abril, Kesha vai fazer mais dois shows para estudantes dos Estados Unidos: amanhã (7 de Março) para estudantes da University of Massachusetts e no dia 18 de Abril, no centro de Auburn-AL (show concedido pela University Program Council). Os dois shows serão gratuitos, porém exclusivamente para estudantes e convidados. Já no dia 16 de Abril, Kesha vai performar em Nova York, na 9th annual Delete Blood Cancer Gala.

Kesha já saiu de Los Angeles hoje (06/03) para o show de Massachusetts e um vídeo de sua chegada no aeroporto pode ser vista logo abaixo:

 


Post publicado por Samuel D
01.03

capattHBK

Hoje, 1 de Março, é aniversário de uma pessoa MUITO especial: Kesha Rose Sebert! Exatamente 28 anos atrás, veio ao mundo uma pessoa que estava para mudar a vida de muitas outras através daquilo que mais ama, a música! Somos gratos por tudo o que Kesha nos ensinou e encorajou, ela nos mostra que temos que ser quem de fato somos sem medo da reprovação, e mais: temos que nos divertir! Então desejamos um feliz aniversário para nossa rainha, que esse ano seja maravilhoso pra ela e que nos traga muitas surpresas!!!

Abaixo você pode conferir o resultado do nosso projeto de aniversário, não se esqueça de compartilhar a imagem MUITO para que possa chegar até a Kesha. Estamos dando prioridade ao twitter, também não se esqueça de utilizar a tag #HappyBirthdayKesha

CLIQUE AQUI PARA SALVAR A IMAGEM NO TAMANHO ORIGINAL

HBK


Page 35 of 41« First...102030...3334353637...40...Last »


Twitter



Facebook



Entre no Estilo